VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Sempre quando começamos a imaginar a piscina dos sonhos em nossa área de lazer, é importante que pensemos em todos os detalhes para que esse projeto seja um sucesso e, depois de concluído, pura alegria e curtição para toda a família. E a iluminação para piscinas é um dos itens essenciais para chegar a um resultado ainda mais satisfatório.

Depois de escolhido o local, o formato da piscina e o material que você deseja, é hora de começar a pensar em um bom projeto de luzes, tanto para o interior quanto para o exterior. Não sabe por onde começar a fazer isso? Anote aí estas 9 dicas que separamos para você fazer bonito na sua piscina!

1. Antes ou depois de a piscina estar pronta?

Se ainda der tempo de escolher, a resposta é “antes”! Esse é o ponto de partida para pensar na iluminação: sua piscina ainda não saiu do papel ou já está pronta? Porque quanto mais no início a ideia estiver, mais fácil será de encontrar as luzes perfeitas, e praticamente todas as opções poderão ser encaixadas no seu projeto — vai depender apenas da sua vontade.

Agora, se você já tem o tanque devidamente instalado e deixou para pensar na iluminação depois, nem todas as alternativas poderão ser aplicadas. Então, o primeiro passo é encontrar um profissional que possa apresentar as ideias cabíveis específicas para o seu caso, que deve ser analisado nos mínimos detalhes e com bastante cuidado.

2. Posicionamento da iluminação para piscinas

Onde você acha que ficam os principais pontos a serem iluminados na sua piscina? Antes de escolher a tecnologia ou qualquer outro detalhe, converse bastante com a equipe que vai executar o projeto e tente imaginar quais são os pontos que você acha que deveriam ter mais ou menos luminosidade.

Se você já tem uma piscina, tente observar quais são as áreas em que os usuários mais ficam, pois é do lado oposto a isso que as luzes devem ser instaladas — para evitar pontos de sombra e o ofuscamento.

Caso ainda não tenha, faça o exercício de imaginar onde ficarão as mesas, cadeiras e outros itens que complementarão a sua área de lazer. É importante pensar que as luzes devem causar uma sensação agradável tanto para quem está dentro da água quanto para quem está curtindo do lado de fora.

3. Formato e cor da piscina

Muita coisa vai ser decidida a partir da escolha do formato e da tonalidade da sua piscina. Existem diferentes projetos para modelos em fibra, vinil ou em alvenaria, e também diferentes níveis de dificuldade se o projeto for feito do zero ou se o tanque já estiver pronto, apenas esperando pela iluminação.

Uma dica: quanto mais suave for a cor da piscina, mais efeito a claridade vai ter. Já nos modelos com pastilhas escuras, por exemplo, você terá que reforçar os pontos de brilho.

4. Iluminação fora da água

De nada vai adiantar uma iluminação incrível dentro da água se na parte de fora ninguém conseguir enxergar nada, não é mesmo? Então, planeje também como a área externa da sua casa vai proporcionar boas experiências, com visibilidade e conforto.

As entradas próximas de portas, corredores, degraus, deques e plantas, por exemplo, são alguns dos pontos principais nos quais você deve investir. Identifique todos os possíveis obstáculos da zona de lazer e ilumine-os para evitar esbarrões e acidentes!

5. Luzes coloridas

As luzes coloridas são uma opção moderna e alegre, que combina com ambientes e famílias que adoram descontração e festas. Mas com o tempo as cores podem se tornar cansativas, então, caso essa seja a sua escolha, tente colocar também uma opção de luz neutra, que possa ser utilizada de vez em quando.

6. LED

Vamos às alternativas de tecnologia. Como você deve saber, o LED é uma das opções mais econômicas quando se fala em iluminação, e essa regra também é válida quando o assunto é piscina.

O investimento inicial é mais alto, mas o consumo é muito mais baixo e o LED não exige tanta manutenção, além de esteticamente ficar muito bonito. O ideal é espalhar diversos pontos de luz para garantir sua total eficiência. Essa é uma das tecnologias mais utilizadas, principalmente por seu custo-benefício e longevidade (estimam-se 100 mil horas de vida útil).

7. Fibra ótica

Essa é uma opção segura e moderna, que tem sido cada vez mais usada. É possível escolher a iluminação subaquática por pontos específicos, fachos de luz e também a perimetral, que é a luz que se estende pela borda da piscina. Outro ponto positivo da fibra ótica é que ela proporciona mudanças de cor, tornando a iluminação mais versátil.

Sabe aquelas piscinas com pontos isolados de luz, como se fossem pequenos vaga-lumes? É fibra ótica! Deseja uma cascata iluminada com diversas mudanças de cores? Vá de fibra ótica!

8. Refletores

Os refletores, preferencialmente de marcas mais conhecidas no mercado, são indicados para todos os tipos de piscina e normalmente iluminam com fachos de luz branca.

Uma novidade bacana para quem já tem piscina pronta e quer evitar reformas são os refletores flutuantes, que podem ser controlados por controle remoto, oferecem diversas opções de cor e são sustentados por bateria, que pode durar até 12 horas.

9. Eletricidade + água

Você também se assusta só de pensar nessa mistura explosiva de eletricidade com água? Sim, sabemos que pode ser um pouco preocupante, mas as tecnologias usadas hoje em dia são testadas e comprovadas como muito seguras. Não há risco de choques em nenhuma das preferências listadas acima!

A alternativa mais segura, sem dúvidas, é a fibra ótica, já que a luz é carregada até a extremidade por cabos, mas a energia elétrica não entra em contato com a água em momento algum.

Já os refletores com dispositivo DR interrompem automaticamente a energia em casos raros de choque, evitando, assim, acidentes graves.

Gostou das nossas dicas sobre iluminação para piscinas? Então curta nossa página no Facebook e acompanhe nossas atualizações e novos posts sobre o assunto!

Powered by Rock Convert

POSTS RELACIONADOS


Share This