VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

como-reduzir-os-custos-com-piscinaPowered by Rock Convert
Loja VirtualPowered by Rock Convert

A aplicação de cloro na piscina é uma etapa indispensável da manutenção dela. Entre os diversos produtos que estão disponíveis para manter a qualidade da água, o cloro é um dos principais porque tem ação desinfetante, evitando a proliferação de micro-organismos nocivos.

No entanto, para que ele possa agir adequadamente, é preciso que sua aplicação seja feita do jeito certo. Por isso, alguns erros precisam ser evitados a fim de garantir a eficácia do cloro bem como a segurança de quem o está manuseando e dos banhistas.

O que causa preocupação é o fato de que esses erros são muito comuns, e foi pensando nisso que preparamos este artigo. Nele, listamos o que você não deve fazer durante essa manutenção e ainda explicamos o jeito correto de realizá-la. Continue lendo para descobrir como cuidar da piscina do jeito certo!

1. Não conferir os parâmetros antes da aplicação

É verdade que a aplicação de cloro na piscina precisa acontecer periodicamente, porém, isso não significa que você deva estabelecer datas fixas para realizar essa manutenção. Ela precisa ser feita quando de fato for necessário reaplicar o produto na água.

Sendo assim, não conferir os parâmetros de cloro livre é um erro, porque você precisa saber como está a qualidade da água antes de interferir na química dela. Portanto, utilize um kit específico para realizar essa medição e verificar se de fato a quantidade está abaixo do padrão ideal, que seria entre 1 a 3 ppm (partes por milhão).

Não se esqueça de que não é apenas o cloro que precisa ser medido. Isso porque a eficácia dele depende muito do equilíbrio do pH e da alcalinidade, então, meça também esses parâmetros para que você possa ter uma água totalmente equilibrada e apropriada para o banho.

2. Dissolver incorretamente

Você deve conhecer o ditado que diz que a pressa é inimiga da perfeição, não é mesmo? Pois ela também interfere negativamente quando o assunto é aplicação de cloro na piscina. Para terminar mais rápido a manutenção, algumas pessoas se esquecem da importância de dissolver o cloro corretamente.

Mesmo que o produto seja líquido ele não pode ser aplicado diretamente na piscina, porque terá sua eficácia comprometida. É essencial recolhermos um pouco da água do tanque, dissolver o produto nela e depois acrescentá-lo ao restante do volume da piscina.

Se você for usar o cloro granulado, tenha ainda mais atenção na hora de preparar a solução. O produto deve estar totalmente dissolvido, sem deixar nenhum resíduo. Mexa bem a água e somente depois de ficar homogênea a aplicação pode ser feita.

3. Mexer o cloro com objetos metálicos

O cloro tem ação desinfetante por causa da sua propriedade oxidativa. Isso significa que ele consegue destruir moléculas, por essa razão, não é recomendado que tenha contato direto com objetos metálicos, pois pode causar a corrosão deles.

Quando for preparar a sua solução, portanto, prefira os utensílios de plástico, menos suscetíveis a essa propriedade do cloro. Assim, não haverá liberação de partículas metálicas na água e você conservará o seu objeto.

4. Usar menos cloro do que o ideal

Conforme explicamos, a aplicação de cloro na piscina é uma das etapas mais importantes da manutenção dela, por isso, não é recomendado tentar fazer economias reduzindo a quantidade de produto que é aplicada no tanque.

De um modo geral, é preciso cerca de 4 gramas de cloro para cada 1.000 litros de água, já que essa medida é a que garante a eficácia do produto com segurança para as pessoas. O ideal é verificar as instruções do fabricante e segui-las respeitando a quantidade recomendada.

Aplicar menos claro cloro do que o necessário traz dois problemas diferentes: o primeiro é a ineficácia do produto, pois ele não conseguirá agir corretamente e não desinfetará a água; o segundo é o desperdício, porque você estará consumindo produto sem usufruir dos benefícios dele.

5. Aplicar cloro em excesso

Algumas pessoas cometem o erro contrário do qual citamos. Ao invés de aplicar pouco cloro, coloca produto demais na água, acreditando que dessa forma estará melhorando a ação dele e garantindo uma água ainda mais limpa. Porém, isso não é verdade.

Quando a aplicação de cloro na piscina é excessiva, a água fica inapropriada para banho, porque o excesso de produto provoca prejuízos para a saúde dos banhistas, causando, por exemplo, reações alérgicas na pele e nos olhos.

Além disso, como ele é oxidante, pode comprometer os componentes do tanque. Ainda temos o impacto financeiro negativo, afinal, como estamos colocando mais cloro do que o necessário, o produto durará menos.

6. Dispensar equipamentos de proteção

Apesar de o cloro trazer benefícios quando acrescentado à água da piscina, não podemos nos esquecer de que se trata de uma substância química. Sendo assim, ele não pode ser manuseado sem os devidos equipamentos de proteção.

É um erro dispensar o uso de óculos, máscara de respiração e luvas. Esses itens precisam ser utilizados por quem fará o manuseio, e ainda é importante manter crianças e animais domésticos longe do local onde se está fazendo a aplicação.

É válido lembrar que, na hora de dissolver o cloro, isso não deve ser feito com as mãos, mesmo que você esteja calçando luvas. Prefira usar um objeto plástico para não ter o risco de entrar em contato com o produto, que pode lesionar a pele.

7. Não ter atenção à radiação solar

Um dos motivos pelos quais a aplicação de cloro na piscina precisa ser constante é o fato de que a radiação solar faz com que ele evapore. Sendo assim, ela precisa ser considerada na hora de fazer a manutenção do tanque, a fim de não comprometer a eficácia do produto.

O ideal é que você prefira fazer a aplicação ao final do dia, pois dessa forma haverá tempo para o cloro agir. Isso principalmente com os produtos não estabilizados, porque são ainda mais suscetíveis à radiação solar.

8. Aplicar todo o cloro no mesmo lugar

Esse é mais um erro cometido, geralmente em função da pressa de terminar a manutenção. Por isso, prefira realizar essa tarefa quando estiver com tempo. O cloro não pode ser aplicado todo no mesmo lugar. Ele deve ser espalhado pelo tanque.

Depois de dissolver o produto, o ideal é que você caminhe ao redor da piscina, despejando um pouco da solução em toda ela. Em seguida, é preciso que a casa de máquinas se mantenha operando, para circular todo o volume e garantir que o produto seja misturado em toda a água e alcance uma melhor eficácia.

9. Não medir os parâmetros após a aplicação

Sabia que depois de fazer aplicação de cloro na piscina você precisa medir os parâmetros mais uma vez? Mesmo que tenha seguido as instruções do fabricante, realizado todo o processo do jeito correto e evitado os erros, é fundamental realizar um novo teste.

Ele indicará se a quantidade realmente foi suficiente, se não há falta ou excesso e ainda se o pH e alcalinidade estão devidamente equilibrados. Afinal, conforme explicamos, todos esses parâmetros se influenciam e, por isso, é preciso fazer uma nova verificação. Mas lembre-se de que ela deve ser realizada somente depois de deixar o produto agir.

Para que você tenha excelentes resultados ao fazer aplicação de cloro na piscina, procure evitar esses erros. Também não se esqueça de que é fundamental usar produtos de boa qualidade e manter todos os parâmetros em equilíbrio, pois somente assim a manutenção será feita corretamente, garantindo uma água cristalina e limpa de verdade!

Gostou dessas dicas? Temos muitas outras para compartilhar com você. Siga as nossas postagens no Facebook para ficar por dentro de tudo!