VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Tecnicamente, uma piscina residencial difere bastante da piscina coletiva. Especialmente, no que diz respeito à legislação vigente, sendo que a área de lazer para o uso de mais pessoas deve seguir uma série de exigências.

Mas, além da cartilha legal, os cuidados com a piscina coletiva são variados. Afinal, com tantas pessoas indo e vindo em busca de lazer e frescor, algumas regras devem ser estabelecidas. Tudo para garantir a qualidade da água, a manutenção do local e o bem-estar dos banhistas.

Quer saber, então, quais são as principais recomendações para manter a piscina coletiva funcional? Basta seguir com a leitura deste post!

Alinhe sua piscina coletiva à legislação

Temos algumas leis estaduais e federais em vigor que são diretamente associadas à rotina de uma piscina coletiva. Uma delas é o Decreto Nº 4.447, que lista algumas normas de controle e, ainda, evidencia a importância de contar com a presença de um guardião no local.

Além disso, outras orientações legais são destacadas para a composição de toda a área de lazer. Isso envolve o uso de sinalizações, pisos antiderrapantes e até mesmo a rotina de manutenção da piscina.

Ir na contramão das leis vigentes pode ser tão prejudicial quanto custoso para a gestão. Caso alguns agentes fiscalizadores façam uma visita e identifiquem exigências não cumpridas, eles podem interditar o local e aplicar multas em reincidência de infrações.

Crie um regulamento de cuidados e boas práticas

Finalizada a avaliação do alinhamento às questões burocráticas é hora de identificar, internamente, quais cuidados e boas práticas devem representar a sua piscina coletiva. Com isso, você conta com a compreensão e apoio dos usuários para preservarem o local.

Indo além da decoração para áreas de lazer, esse regulamento deve consistir em orientações de toda espécie, como:

Ducha antes da piscina

Sinalize a obrigatoriedade dos usuários em tomarem uma ducha antes de entrar na piscina. Como os usuários contam, geralmente, com bronzeadores, óleos corporais ou mesmo suor espalhados pelo corpo, a ducha remove os resíduos e evita que a piscina suje com facilidade.

Exames médicos antes do uso

Alguns locais não conseguem manter essa prática, como em hotéis, mas a área de lazer deve estar bem sinalizada para restringir o acesso de portadores de doenças transmissíveis.

Além disso, inflamações em geral também devem ser consideradas, e o acesso liberado somente após a apresentação de uma declaração médica atestando a possibilidade de usar a piscina coletiva sem o risco de contaminar outras pessoas.

Restrição às crianças na piscina sem supervisão

Manter a segurança na área de lazer é uma das grades preocupações de gestores. No que diz respeito ao tráfego de crianças na região, então, a situação fica ainda mais alarmante. Por isso a figura do guardião é tão importante em uma piscina coletiva.

Isso significa que, sem a presença de um profissional qualificado ou dos responsáveis legais, o acesso à piscina deve ser restrito para crianças.

Regras de consumo e acesso à piscina

Para oferecer mais segurança aos banhistas e integridade à área de lazer, você pode optar por algumas regrinhas básicas, como:

  • restrição de acesso à piscina com objetos de vidro, como copos e garrafas;
  • evitar brincadeiras perigosas na piscina, evitando escorregões e acidentes em sua borda;
  • proibir o consumo de bebidas e comidas no interior da piscina;
  • utilizar apenas vestimentas apropriadas na piscina.

Essas são algumas das principais condições para garantir que sua piscina coletiva permaneça íntegra, funcional e segura para os usuários. Agora, para complementar o assunto e ajudar você a ter todas as informações em mãos, convidamos você a baixar, gratuitamente, nosso guia com todas as exigências da vigilância sanitária em clubes e academias!

Powered by Rock Convert

POSTS RELACIONADOS


Share This