VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Pensar em uma água cristalina, na piscina, significa contar não apenas com equipamentos indispensáveis para a sua manutenção, mas garantir que você saiba lidar com cada um deles da melhor forma, como é o caso do filtro para piscina.

Esse componente do sistema hidráulico, que costuma passar despercebido dos banhistas em busca de frescor e diversão, é um dos principais itens para manter a qualidade da água.

Não à toa, há quem diga que somente o filtro para piscina já é responsável por garantir 80% da sua qualidade ideal. E mais: que o filtro deve ser usado diariamente para que a manutenção seja a mais eficaz possível.

Ou seja: de nada adianta desfrutar dos prazeres do verão sem, antes, focar nos devidos cuidados para que a piscina permaneça convidativa e segura para quem decidir dar um mergulho sob o sol.

E foi pensando nesse elementar componente que decidimos criar este post, que vai ajudar você a entender absolutamente tudo a respeito do filtro para piscina.

Da escolha do modelo ideal à limpeza e manutenção do produto – além de algumas dicas de conservação do seu filtro para piscina –, vamos fazer de você um especialista no assunto, capaz de lidar com os prazeres e obrigações de sua piscina. Confira!

Como identificar as funções do filtro para piscina?

Tão importante quanto outros componentes do sistema hidráulico, como o skimmer (responsável por recolher a sujidade visível), a bomba e o ralo do fundo, o filtro possui uma função principal que é entregue pelo seu nome: ele filtra a água da piscina.

Os caminhos para isso, entretanto, é que são tão importantes e curiosos. Mas, basicamente, trata-se de um processo em que a água é sugada aos poucos pelo skimmer e pelo ralo – por meio da bomba da piscina – até chegar em um depósito, onde ela passa pelo processo de filtragem até voltar à piscina.

E isso independentemente do tipo de filtro para piscina que você estiver utilizando. Afinal de contas, existem modelos que diferem, aqui e ali, em suas características, mas mantêm a função primordial em manter a água cristalina e livre de resíduos.

Esse processo todo, quando finalizado, é conhecido como ciclo completo, que ocorre quando toda a água passa pelo filtro, deixando-a o mais limpa possível. E, como já adiantamos, recomenda-se a realização do procedimento ao menos uma vez por dia.

Agora, a respeito da média de tempo para essa função, é seguro dizer que gira em torno de 6 a 8 horas. Entretanto, outros fatores devem ser levados em conta, como, por exemplo:

  • o tamanho da sua piscina (ou o volume de água contido nela);
  • a potência da sua bomba/motor;
  • a própria capacidade do filtro para piscina utilizado.

No entanto, essa é a principal função do filtro para piscina, que também concentra outras aplicações que visam a limpeza e manutenção da água – além da limpeza do próprio componente, que acumula sujeira e outros resíduos com o tempo e o uso.

Entre as principais funções do filtro, e que são capazes de prolongar a vida útil do produto em si, e de outros componentes da piscina, podemos citar:

Função recircular

Quando ajustado nessa posição, o filtro para piscina suga a água por meio da bomba, do mesmo jeito que o faria na função de filtração. Com a diferença que o objetivo dele é apenas fazer a água circular, e não limpá-la.

Esse tipo de ação é muito comum, por exemplo, quando os usuários estão em busca de mais pressão na saída de água. Algo que acontece com o uso de hidromassagens, cascatas e outros dispositivos similares.

Entretanto, existe uma utilização que vai além do bem-estar, cujo foco é o cuidado em evitar que certos produtos químicos passem pela areia do seu filtro para piscina, como o sulfato de alumínio, entre outros.

Função lavar/retrolavar

Ajuste necessário do filtro que visa manter o seu bom funcionamento, pois é a função responsável por lavar a areia desse componente.

Indispensável dizer que a periodicidade deve ser levada em conta, uma vez que o filtro limpo garante mais eficácia ao filtrar a água da piscina. E isso só ocorre pelo contínuo uso dessa popular função.

Afinal de contas, com o tempo e após tantos ciclos completados, a areia do filtro acumula sujeira e resíduos em excesso, o que torna necessária a atenção para a função de retrolavagem.

Com ela, o ciclo da água é invertido, fazendo com que esse dispensável acúmulo de partículas seja expelido para uma saída de esgoto. Isso vale, no entanto, apenas para os filtros de areia.

Os filtros de cartucho, por sua vez, podem ser limpos manualmente com um potente jato d’água para remover a sujeira – mas veremos mais adiante a respeito dos outros tipos de filtro e outras dicas de limpeza e de conservação para cada um deles.

Função pré-filtrar

Por fim, outra função importante do filtro para piscina é a pré-filtragem, que é costumeiramente utilizada logo após a lavagem da areia do filtro.

Assim, o processo visa assentar as partículas no interior do filtro, evitando que ela devolva todos os resíduos de volta para a piscina durante o próximo ciclo de filtração.

Ou seja: as diferentes funções do filtro para piscina são igualmente úteis e necessárias na rotina de manutenção e limpeza dessa refrescante área de lazer do seu lar.

Por isso, vale se atentar nesses outros ajustes, além da filtração, para garantir a água cristalina e mais tempo de vida útil para os componentes da sua piscina.

Quais são os tipos de filtro para piscina?

Como vimos até aqui, o filtro para piscina possui a mesma função primordial, independentemente do modelo e tipo de componente adquirido.

O que muda, durante a escolha do modelo ideal para você, são as peculiaridades de cada um e a maneira de manuseá-los.

Em geral, podemos dividir os tipos de filtros para piscina em 3 gêneros. Vamos a eles?

Filtros de areia

Indiscutivelmente, os modelos mais populares no mercado. O filtro de areia é considerado eficiente, com baixíssima manutenção, uma vez que o processo de filtragem é deixado sob a responsabilidade de um agente natural: a própria areia.

Estamos falando, portanto, de um processo já visto na natureza, o que torna a engenhosidade ainda mais curiosa, não é mesmo?

Como funciona o filtro de areia

Basicamente, a limpeza é feita pela sucção da água para dentro do filtro para piscina, que possui um depósito cheio de areia, do qual já falamos a respeito.

Mas o grande trunfo desse tipo de filtro é a sua durabilidade extensa – com vida útil de até 10 anos (embora seja recomendável a troca do filtro a cada 7 anos).

Assim, tem-se um produto de fácil manuseio, econômico e altamente eficaz. A seguir, apresentamos todas as particularidades de um filtro de areia comum:

  • alavanca: é o item que permite ao usuário o ajuste para a função desejada do filtro (importante: mova a alavanca somente com o motor desligado);
  • manômetro: é o componente que mede a pressão dentro do filtro;
  • visor da retrolavagem: componente que permite verificar a tonalidade da água durante a retrolavagem (quando a água estiver cristalina, e não com um tom esbranquiçado ou marrom, significa que está limpa).

Vamos conferir, agora como funciona outro tipo de filtro para piscina: o de cartucho?

Como funciona o filtro de cartucho

Trata-se de um produto que conserva, em seu interior, cartuchos removíveis e substituíveis – cuja duração média de cada um deles gira em torno de um ano. Um ponto importante, na manutenção do filtro para piscina de cartucho, é a sua limpeza, que deve ser feita com um jato d’água, como dissemos, com periodicidade semanal.

Agora, o funcionamento desse tipo de filtro se distancia do filtro de areia, aproximando-se mais do filtro de terra diatomácea: só que, em vez de um material natural, para a filtração, utiliza-se um composto fabricado.

A vantagem desse tipo de filtro, portanto, está mais nas facilidades que ele proporciona, como em sua limpeza e também na sua instalação. A necessidade de troca contínua dos cartuchos, por sua vez, torna-o mais dispendioso que outras opções no mercado.

Como funciona o filtro de terra diatomácea

Atraente alternativa por também contar com agentes naturais para o processo de filtração, o filtro de terra diatomácea possui uma característica similar à de micro-esponjas, capaz de reter a sujeira sem reter a água – algo muito próximo do que faz o filtro de areia.

Para explicar um pouco melhor: diatomáceas são seres microscópicos e fossilizados, comercializadas no formato de um pó branco. Essa característica, entretanto, faz com que esse tipo de filtro seja acessível somente a um custo elevado (tanto em aquisição quanto em sua manutenção), mas de grande eficácia.

Como escolher o melhor tipo de filtro?

Aqui, vale ter em mente que a eficiência de cada um deve ser levada em conta, mas a qualidade na filtração é menos relevante, ao compará-los, do que outros fatores, como:

  • o investimento e o orçamento de manutenção;
  • a disponibilidade para realizar o processo de filtração regularmente;
  • a própria oferta de cada tipo de produto em sua região.

Outro fator importante é a capacidade de sua piscina, bem como a potência da bomba – elementos consideráveis para calcular a velocidade do fluxo de água.

Afinal de contas, isso significa que você deve manter um equilíbrio com relação ao tipo e tamanho (a capacidade) do filtro. Nossa dica é: opte por um modelo maior do que o necessário, mas não grande demais.

Dessa maneira, você até pode diminuir a frequência no processo de limpeza do filtro, mas evite modelos muito grandes, pois isso também significa desperdiçar a capacidade do produto – e o seu investimento.

Com relação à eficiência de cada tipo de filtro para piscina, vale usar a proporção:

  • filtro de areia: capacidade de filtragem de 60 micrômetros;
  • filtro de cartucho: capacidade de filtragem de 20 micrômetros;
  • filtro de terra diatomácea: capacidade de filtragem de 7 micrômetros.

Isso quer dizer que cada micrômetro corresponde à milionésima parte de um milímetro. Para se ter uma ideia do quão minúscula é essa medida, vale dizer que um mísero grão de areia mede 100 micrômetros.

Assim, quanto menor a capacidade de filtragem de micrômetros, melhor será o seu processo de filtração (neste caso, o filtro de terra diatomácea é o mais eficiente, portanto).

Que fique, entretanto, a nossa recomendação inicial de não se deixar levar somente pela capacidade de filtração ao escolher o seu filtro para piscina.

Como funciona um filtro de piscina caseiro (e como fazer)?

Uma alternativa ainda mais econômica, e bastante utilizada para a limpeza e manutenção de piscinas menores (como os modelos em plástico) é a fabricação de um filtro de piscina caseiro.

Com um conhecimento básico em mecânica e habilidade manual, é possível fazer um modelo prático e viável para evitar gastos desnecessários e desperdício para encher, sempre que desejado, uma piscina desse porte.

Você vai precisar de:

  • tambor plástico, com capacidade média de 30 a 40 litros;
  • areia específica para piscina;
  • rede tecida firmemente;
  • furadeira;
  • broca com o mesmo diâmetro do cano utilizado para a passagem de água;
  • massa de vedação à prova d’água;
  • fita de encanador.

Fure o fundo do recipiente e o centro de sua tampa e, em seguida, prenda a rede em ambas as extremidades de uma das mangueiras com a fita de encanador.

Fixe-as nos buracos feitos no recipiente, vendando-as posteriormente. Na sequência, basta encher o recipiente, em até três quartos de sua capacidade, com areia específica para piscina.

Tenha, em paralelo, uma bomba para sugar a água direto para o seu filtro caseiro e teste-o, depois, para verificar se existem vazamentos.

Simples e prático, não é? Mas lembre-se de que essa é uma solução pouco eficiente, destacando-se pela facilidade em criar e no tipo de piscina a ser usado o filtro.

Quais cuidados tomar com o filtro para piscina?

Não importa o modelo de filtro que você tenha adquirido: todos eles demandam certos cuidados – como toda a piscina demanda trabalho de manutenção – que visam manter a sua eficiência e prolongar sua vida útil.

A seguir, reunimos algumas dicas que ajudam a garantir o bom funcionamento do filtro para piscina:

  • crie o hábito de filtrar a piscina todos os dias – média de 6 a 8 horas;
  • faça a retrolavagem periodicamente, mas apenas quando necessário;
  • mude somente a posição da alavanca com a bomba desligada;
  • somente feche todos os registros para realizar a manutenção do filtro;
  • evite ligar a bomba quando não houver circulação de água;
  • ao ligar o sistema, verifique antes se a tampa está fechada e os registros e válvulas estão na posição correta.

Com isso, é possível manter o seu filtro para piscina sempre funcional, e garantindo mais tempo de vida útil aos seus componentes.

Como higienizar o filtro para piscina?

Parece irônico, mas é elementar: até mesmo uma das peças responsáveis por higienizar a piscina também necessita de higienização para manter a qualidade no procedimento.

Já mencionamos que o filtro de cartucho necessita de uma boa ducha, ocasionalmente, para remover o excesso de resíduos acumulados.

Para obter resultados ainda melhores, recomendamos que os cartuchos sejam mergulhados em uma solução de água com fosfato trissódico e ácido muriático (na seguinte proporção: 250 ml de produto em 20 litros de água para cada) por 1 hora, aproximadamente.

Para os filtros de terra diatomácea e de areia, o ideal é a já citada retrolavagem. Para fazê-la, lembre-se apenas de fazer o ajuste com a bomba desligada para evitar incidentes, e de contar com uma mangueira para a saída de água até o sistema de esgoto.

Como garantir mais qualidade ao filtro da piscina?

O filtro para piscina também deve ter sua integridade conservada por meio de cuidados que vão além dele próprio, sabia?

Isso significa que outras tarefas focadas na manutenção e higienização da piscina têm tudo a ver com a eficiência e o funcionamento do filtro em si. Por isso, selecionamos algumas dicas que garantem mais qualidade ao seu filtro. Vamos ver quais são?

  • Procure fazer a limpeza do pré-filtro da bomba após a aspiração para remover sujeiras maiores, como folhas, por exemplo, o que ajuda a evitar entupimentos no processo de filtração;
  • Limpe sempre o cesto do skimmer para facilitar a filtração da piscina;
  • Não se esqueça de limpar as bordas da piscina, que também concentram resíduos de todos os portes e podem tornar a filtração ainda mais dificultada quando a higienização não é feita – sem falar que esse é um elemento comum que interfere na alcalinidade e no pH da água.

Se tais tarefas já fazem parte da sua rotina de higienização e manutenção da piscina, parabéns! São ações que, definitivamente, ajudam a aumentar a capacidade de retenção de sujeira do seu filtro para piscina.

Como saber a hora de trocar o filtro?

Mesmo com todos os passos, dicas e produtos aplicados, o filtro para piscina não escapa de uma verdade irremediável: há uma hora em que será necessário substituí-lo.

Ou, em outras palavras: substituir a terra diatomácea, a areia ou os cartuchos – de acordo com o seu filtro para piscina.

O fato é que, ocasionalmente, essa troca deve ser realizada – principalmente, em 2 ocasiões:

  • quando falta areia no filtro;
  • quando a areia do filtro se encontra saturada.

No primeiro caso, isso ocorre porque, com as retrolavagens, é comum perder um pouco de areia no processo.

Além disso, problemas no filtro também fazem com que mais areia seja perdida durante a filtração. Em especial, em uma peça chamada crepina.

Ao se partir, a crepina faz com que o filtro perca sua capacidade de filtração, o que torna a perda de areia uma mera e desagradável consequência desse incidente (uma dica: para saber se alguma crepina se partiu, cheque se partículas de areia estão voltando para a piscina).

No segundo caso, é necessário se atentar à saturação da areia quando a capacidade de filtração está comprometida: quando se vê pouco ou nenhum resultado no procedimento.

O processo de saturação, inclusive, pode ser acelerado por conta de alguns fatores, como:

  • o uso contínuo de sulfato de alumínio ao aspirar a piscina, pois ajuda a deixar os grãos de areia com um aspecto empedrado;
  • A falta de aspiração, pois isso faz com que o filtro trabalhe mais, e com partículas maiores, exigindo mais do componente;
  • A falta de retrolavagem também é importante para a manutenção da própria areia.

Além disso, a troca de areia é importante, de tempos em tempos, pois cria uma espécie de renovação no material utilizado, tornando o processo de filtração mais ágil e qualitativo.

Afinal de contas, quanto mais filtração e retrolavagens são feitas, mais a areia se desgasta. É um processo natural e que deve fazer parte da rotina de checagem periodicamente.

Como saber qual tipo de areia utilizar?

Anteriormente, falamos rapidamente a respeito da areia específica para piscina. Entretanto, a granulometria e a quantidade de areia necessária no filtro são aspectos que devem ser checados diretamente nas especificações do filtro de sua escolha.

Todas essas informações estão indicadas nas características do seu filtro para piscina. Procure sempre seguir as indicações do fabricante, pois esta é uma recomendação que, seguida à risca, só tende a aumentar a vida útil dos seus componentes.

Agora, algumas dicas com relação à areia para piscina escolhida:

  • procure utilizar areia com um diâmetro aproximado entre 0,4 e 1,2 mm;
  • quanto mais fina a areia, melhor a sua qualidade de filtração (como dissemos no comparativo entre os filtros para piscina);
  • Convém utilizar um cascalho fino (média de 2 a 5 mm) como uma subcamada da areia fina, quando o filtro utilizado possui dimensões maiores.

E então, já sabe agora tudo sobre o melhor tipo de areia para o seu filtro para piscina?

Com isso, chegamos ao fim do nosso post sobre filtro para piscina. Aqui, vimos tudo a respeito da escolha do melhor modelo para as suas necessidades, bem como uma série de dicas relacionadas à manutenção higienização e cuidados gerais com esse importante componente.

Agora, convidamos você a entrar em contato conosco da Pool Rescue, para saber um pouco mais sobre como podemos ajudar você no tratamento de águas e na conservação da sua piscina. Até a próxima!

Powered by Rock Convert

POSTS RELACIONADOS


Share This