VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

É indiscutível o prazer que uma piscina pode trazer ao aconchego do lar, não é verdade? Mas para manter essa conveniência, é preciso dar atenção ao uso dos produtos químicos para a piscina.

Afinal de contas, cuidar da piscina é uma parte tão fundamental quanto desfrutar de suas vantagens. E isso envolve a aquisição e o uso de uma série de produtos, indo além da aplicação de cloro, como a utilização de alguns medidores de qualidade para aferir a alcalinidade e o pH da água.

Ou seja: para que o verão combine bem com as suas pretensões de convidar os amigos e reunir os familiares à beira da piscina, é importante tratá-la da melhor maneira possível.

Por isso, reunimos, neste post, um guia completo sobre produtos químicos para a piscina que não podem faltar no seu depósito e, tampouco, na sua rotina de limpeza, manutenção e higienização. Confira!

Nível de qualidade da água da piscina

Você sabia que a água de sua piscina não necessita ser trocada? Quer dizer, desde que você a mantenha em boas condições de limpeza e manutenção, esse tipo de troca nunca será necessário.

O que não significa que alguns detalhes devam passar batido de sua atenção para garantir e manter a qualidade da água em qualquer época do ano.

Assim, entre os pontos que exigem os seus cuidados contínuos, destacamos o pH e a alcalinidade da água. Você sabe o que são eles?

Controle do pH da água

Sigla para Potencial Hidrogeniônico, o pH é a classificação para o nível de íons de hidrogênio dispersos em determinadas substâncias — e que, no caso da piscina, concentra-se na água.

Embora a quantidade de termos possa querer nos confundir, é importante compreender que, a partir do resultado, há como determinar se a água está ácida, neutra ou alcalina.

O valor ideal para o pH de uma piscina é de 7,2 a 7,6. Quando ele estiver acima ou abaixo desse valor, pode gerar situações indesejadas para os usuários, como:

  • produtos químicos para a piscina tendem a ser ineficazes quando a água está ácida (pH baixo);
  • quando a água se encontra com o pH baixo, também podem ocorrer irritações nos olhos e na pele dos banhistas, bem como acontecer danos nas partes metálicas da piscina — dessa maneira, a ação química torna a água ácida e, consequentemente, corrosiva;
  • quando alcalina (pH alto), a água pode se tornar turva, e os produtos químicos para a piscina ser desinfetada têm a sua eficácia comprometida — além de isso propiciar episódios de irritação nos olhos e na pele dos usuários.

Agora, quando esses valores não se mantêm estáveis, mesmo com o uso dos produtos químicos para a piscina (sobre os quais falaremos adiante), convém checar a alcalinidade.

Controle da alcalinidade da água

Em resumo, a alcalinidade é a capacidade de a piscina neutralizar os ácidos na água, garantindo estabilidade ao pH.

Ou seja: as duas condições estão interligadas. Acontece que balancear o pH não mantém a alcalinidade equilibrada, tornando necessário cuidar desse aspecto também a fim de manter a qualidade da água de sua piscina.

Para isso, é necessário saber o nível médio dessa capacidade, que é medido em ppm (partes por milhão). A medida de 80 e 120 ppm garante um pH estável.

Agora, para saber a importância de controlar a alcalinidade, vamos conferir alguns problemas que podem ocorrer quando ela se encontra instável:

Alcalinidade baixa

  • a água pode ficar opaca ou com tonalidade verde;
  • a água da piscina pode ficar corrosiva;
  • o pH perde a estabilidade, gerando mais custos para tratar a piscina;
  • dificulta a decantação.

Alcalinidade alta

  • a água pode ficar turva;
  • as tubulações da piscina podem formar e acumular incrustações;
  • os gastos para remediar a situação são altos.

Assim, existe grande importância de monitorar a qualidade da água. O que pode levar a uma nova dúvida para você, que deseja apenas o melhor para a sua piscina: afinal de contas, como medir a qualidade da água, a sua alcalinidade e o pH ideal?

É isso o que veremos a seguir.

Kit de testes: o que é e como funciona

Embora não faça parte da lista dos produtos químicos para a piscina que citaremos adiante, neste artigo, o kit de testes é essencial para que você tome as decisões mais corretas para o tratamento e a limpeza da sua piscina.

Afinal de contas, é a partir dessa medição que é possível considerar quais são os fatores desequilibrados na qualidade da água. Por isso, veremos como ele funciona e reforçaremos os indicadores ideais de uma piscina perfeita.

Passo a passo para a medição do cloro

Primeiro, é necessário encher o recipiente que acompanha o kit de testes (vendido em qualquer loja especializada) com água da piscina.

Procure colher uma amostra da parte mais profunda, a partir de 30 cm pelo menos. Em seguida, aplique 5 gotas do reagente que acompanha o kit.

Agite o conteúdo e espere a reação para que você possa comparar a cor do produto com a escala fornecida no kit. Vale lembrar que o resultado é apresentado em ppm (partes por milhão) e que a média gira em torno de 80 a 120 ppm, lembra-se?

Passo a passo para a medição do pH

O procedimento para medir o nível do pH é similar ao anterior, porém, a solução utilizada é diferente do produto direcionado à medição do cloro. Aqui, usamos uma solução de vermelho de fenol.

Em seguida, basta repetir as etapas do procedimento anterior e comparar com base na escala padrão — lembrando que o valor ideal para o pH da piscina é entre 7,2 e 7,6.

Conclusões para escolher produtos químicos para a piscina

Dependendo do resultado, são necessárias medidas adequadas para que as ações surtam os efeitos desejados. Por conta disso, corrija a alcalinidade da água antes de cuidar do pH, uma vez que a estabilidade do primeiro garante o equilíbrio do segundo.

Também mantenha seus kits de testes em condições ideais de uso. Para isso, abrigue-os em ambientes arejados e em segurança da exposição ao calor (e fora do alcance de crianças e animais).

E por fim: lave os kits em água corrente após o uso. Isso tem como objetivo remover os resíduos da última análise, o que é essencial para que os testes seguintes sejam fidedignos e livres de qualquer interferência das medições anteriores.

Com isso, vamos à explicação principal deste artigo, que é o nosso completo guia para que você saiba tudo a respeito dos produtos químicos para a piscina e como aplicá-los na sua rotina de limpeza e manutenção!

Guia de produtos químicos para a piscina

1. Cloro

Produto de ação desinfetante, o cloro tem como finalidade destruir microrganismos e outras bactérias presentes na piscina — mesmo aqueles mais resistentes, que sobrevivem ao processo de filtração.

O que vale se atentar no uso do cloro, que é um dos principais produtos químicos para a piscina, é que ele deve ser aplicado de maneira periódica. E para saber quando existe a necessidade de reaplicá-lo, recomendamos um aparelho medidor dos níveis de cloro.

As principais opções de cloro no mercado são oferecidas em:

  • pastilhas (também comercializadas em tabletes);
  • pó granulado.

No caso das pastilhas, usa-se um recipiente flutuante de distribuição, que passa a dosar uniformemente a quantidade de cloro por toda a piscina. Já no caso do pó, recomendamos que o produto seja dissolvido em um balde (com água da piscina) e liberado, aos poucos, por toda a piscina — seja ela de fibra ou alvenaria.

Por fim, crie o hábito de utilizar o cloro à noite, preferencialmente, ou ao entardecer, assim que ninguém mais estiver fazendo uso da piscina.

Isso se deve ao fato de que o cloro perde parte da sua eficácia em altas temperaturas (e as noites tendem a ser menos quentes) e, também, por ser um momento de inatividade da piscina e de baixíssima agitação nela, o que facilita a ação do cloro.

E lembre-se de seguir à risca as instruções do fabricante, que indicam tanto a frequência de aplicação do cloro quanto a medida ideal para o seu tipo de piscina (uma dica: saiba o volume dela para facilitar o cálculo e a dosagem).

2. Algicida

É comum que a baixa manutenção na piscina, bem como a proliferação de algumas bactérias, terminem por culminar no surgimento de algas, sendo a alga-mostarda uma das espécies mais presentes nas paredes das piscinas.

O curioso é que elas não apresentam riscos à saúde dos banhistas. O que afasta os usuários da piscina é a coloração da água, de um tom esverdeado, e o aspecto turvo que toma toda a superfície da piscina.

Ainda, há a possibilidade de acúmulo de uma camada de visco nas paredes e, caso nenhuma providência seja tomada, isso pode causar manchas na piscina.

Nesses casos, o uso do algicida tem tudo para dar um tratamento de choque na insalubridade da água e devolver a sua qualidade.

É possível, inclusive, encontrá-lo em 2 modelos principais: o algicida de manutenção e o algicida de choque.

O primeiro atua como um produto de prevenção, para que as algas não retornem a proliferar. O algicida de choque, por sua vez, atua no combate e extermínio do problema.

Para usar eficientemente o algicida de choque, recomendamos que você:

  • escove as paredes e o fundo da piscina com um cabo telescópico para remover o excesso de algas;
  • dilua 10 ml do algicida para cada mil litros que a sua piscina tiver e o distribua de maneira uniforme;
  • se possível, acione a função de circulação do seu filtro: assim, o produto vai agir por 2 horas, aproximadamente;
  • deixe a água em repouso (sem uso, portanto) por cerca de 12 horas;
  • em seguida, finalize o processo com a aspiração da sua piscina.

Antes de usar o algicida, verifique se ele tem cobre. Se tiver cobre, cheque o nível de cloro na piscina, pois as duas substâncias são incompatíveis. Se o resultado estiver acima de 2 ppm, evite usar o algicida, pois a reação química pode causar manchas nas paredes de sua piscina.

Caso o algicida não tenha cobre, você pode usá-lo após 10 minutos da aplicação do cloro. Porém, procure adicioná-lo em pontos diferentes da piscina. Se for diluir o produto em um balde com água, lave-o após a colocação de cada produto.

3. Limpa bordas

Quando se fala em produtos químicos para a piscina, poucas vezes o limpa bordas é mencionado, sendo que se trata de uma importante etapa de limpeza e manutenção.

Principalmente, porque é nas bordas que ocorre o maior acúmulo de oleosidade na piscina, decorrente de óleos bronzeadores e de protetor solar, além do suor dos usuários e outros resíduos de materiais orgânicos.

Em vista disso, a aparência da piscina nunca chegará ao nível de qualidade desejado. Isso, porque, além do aspecto desagradável, a sujeira alojada nas paredes e bordas se torna uma fonte de consumo do cloro utilizado para outros fins.

Assim, o limpa bordas pode — e deve — fazer parte dos seus produtos químicos para a piscina. E o seu uso pode ser trabalhoso, mas, acredite, é gratificante.

A melhor forma de utilizar o limpa bordas é com o auxílio de uma esponja macia e dois baldes: um, menor, para dissolver o produto, e outro para limpar a esponja.

Dessa maneira, você economiza no uso do limpa bordas — evitando aplicar uma quantidade desnecessária — e a limpeza se torna uniforme.

Mas o diferencial desse método de limpeza das bordas consiste no segundo balde, uma vez que ele evita que a sujeira acumulada na esponja retorne à água da piscina.

Desnecessário dizer o quanto isso seria improdutivo, não é mesmo?

O processo, portanto, deve ser realizado de forma que a esponja vá do balde menor para a superfície a ser higienizada, na piscina, e, em seguida, para o outro balde, onde a esponja será molhada. Assim, a sujeira absorvida não retornará de onde veio.

Viu como se trata de uma dica simples e que ajuda a economizar no consumo do produto, além de manter as paredes da sua piscina limpas por mais tempo?

4. Clarificante

Dando continuidade à lista de produtos químicos para a piscina, chegamos ao clarificante.

Esse item torna todo o processo de limpeza mais fácil, uma vez que a sua composição permite assentar a poeira e outras partículas menores em suspensão, na água, levando-as ao fundo da piscina.

Assim, a aspiração passa a ser mais eficiente e a limpeza da água, mais qualitativa. Sem falar que o processo permite que a água da piscina fique mais cristalina e torne a tentação para um mergulho ainda mais irresistível.

5. Elevador de pH

Falamos que a regulagem no nível de pH é fundamental para garantir a qualidade da água e também para manter a integridade dos equipamentos da piscina.

Afinal de contas, quando o pH reduz bastante, o nível de corrosão na água é elevado de maneira proporcional, o que pode danificar diversas partes da aparelhagem.

Assim, o uso do elevador de pH é uma ótima alternativa para prevenir a corrosão de equipamentos e acessórios. Agora, para fazer bom uso do elevador de pH, separamos algumas dicas fundamentais:

  • procure sempre conferir as medidas recomendadas para as dimensões de sua piscina;
  • dilua o produto em um balde com água, de acordo com a dosagem recomendada;
  • em seguida, filtre a água por cerca de 6 horas seguidas e faça uma nova avaliação do pH.

Caso o resultado seja insatisfatório, uma nova aplicação do produto pode ser realizada.

Vale, inclusive, relembrar a importância de ter um desses produtos químicos para a piscina sempre à mão, pois vimos que o pH da água de sua piscina é um assunto sério e que deve ser constantemente monitorado.

6. Redutor de alcalinidade e do pH

Esse produto é um ácido que serve para reduzir a alcalinidade e o pH.

Quimicamente, ele age sempre primeiro no pH. Por isso, lembre-se de que, caso você corrija a alcalinidade alta, ao aplicar o produto para equilibrá-la, é o pH que vai reduzir primeiro.

No entanto, não há com o que se preocupar. Continue fazendo as aplicações do produto até atingir o parâmetro ideal (80 a 120 ppm).

Assim, apenas quando a alcalinidade atingir a medida ideal é que você deve medir e corrigir o pH. Após esse processo, filtre por seis horas.

Se a alcalinidade estiver ideal e o pH, muito alto, o seu objetivo é ajustar o pH, correto? Ao adicionar o redutor de alcalinidade e do pH, para baixar o pH, qual composição química vai reduzir primeiro?

Sempre o pH. Como a alcalinidade estava ideal (de 80 a 120 ppm), o pH vai baixar e manter a alcalinidade na medida ideal também.

7. Estabilizador de pH

Por fim, chegamos ao último dos produtos químicos para a piscina deste post: o estabilizador de pH, também conhecido como elevador de alcalinidade.

Como o próprio nome sugere, estamos falando de um tipo de produto granulado fino e de fácil dissolução, cuja finalidade principal é a de aumentar a alcalinidade da água.

Consequentemente, esse tipo de ação contribui para a estabilização do pH, permitindo que a qualidade da água seja maior, por conta do reajuste.

Para facilitar o uso desse produto químico para piscina, também separamos algumas dicas importantes de manuseio e aplicação:

  • utilize o seu kit de testes para a análise do nível de pH e alcalinidade;
  • verificado o nível indesejado, convém realizar a correção da alcalinidade seguindo as instruções de dosagem recomendada pelo fabricante;
  • o produto deve ser dissolvido em água da própria piscina e ser espalhado de maneira uniforme;
  • depois de ligar o filtro, é preciso ajustá-lo na posição de filtração;
  • o produto deve agir por 3 horas;
  • aguardar 12 horas e fazer uma nova medição com o seu kit de testes para conferir o teor de alcalinidade na água da piscina;
  • Caso necessário, a operação deve ser repetida.

Dessa maneira, seguindo todas as dicas, você vai usufruir da melhor maneira possível de todos os produtos químicos para a piscina que exploramos neste post!

Resumo dos produtos e dicas gerais de limpeza

Como vimos ao longo do artigo, existem produtos químicos para a piscina com as mais variadas finalidades e diferentes instruções de uso e cuidados.

Mas, em comum, todos visam oferecer mais qualidade à água da piscina e facilidades em sua limpeza e manutenção.

Por isso, agora vamos reforçar aquilo que falamos no guia, com um resumo detalhado dos 7 produtos químicos para a piscina:

1. Cloro

Produto de ação desinfetante cujo objetivo é destruir microrganismos e outras bactérias presentes na piscina.

2. Algicida

Disponível para prevenir ou exterminar as algas que podem se proliferar na piscina, o produto ajuda a removê-las e a eliminar o aspecto turvo e esverdeado da água.

3. Limpa bordas

Indispensável para remover a oleosidade decorrente de bronzeadores e do protetor solar, do suor dos usuários e de outros resíduos de materiais orgânicos.

4. Clarificante

Produto com a finalidade de facilitar a limpeza da piscina, uma vez que ele assenta a poeira e outras partículas em suspensão, levando-as ao fundo da piscina para que a aspiração seja facilitada.

5. Elevador de pH

Providencial para prevenir a corrosão de equipamentos e acessórios decorrente do baixo nível de pH na água.

6. Redutor de alcalinidade e do pH

Produto com finalidade dupla: serve para reduzir tanto o pH quanto a alcalinidade da água.

7. Estabilizador de pH

Granulado fino e de fácil dissolução cuja finalidade é aumentar a alcalinidade da água e, consequentemente, contribuir para a estabilização do pH.

Com isso, esperamos que você tenha compreendido, definitivamente, a importância de cuidar da piscina e que tenha aprendido a lidar da melhor maneira possível com as diferentes situações que podem surgir diante de você.

E para que a sua rotina de cuidados com a piscina seja completa, separamos um passo a passo breve e rápido para que você saiba todas as etapas de limpeza da piscina anteriores à medição com o seu kit de testes:

  • limpe a área externa ao redor da piscina (com uma vassoura), e da borda para fora, para evitar que o acúmulo de sujeira no ambiente caia em excesso na água;
  • esvazie, manualmente, o skimmer, que já possui a responsabilidade em fazer uma pré-filtração dos resíduos que caem na piscina (lembre-se de desligar o sistema de filtros e os registros para realizar a limpeza do produto);
  • passe a peneira, com o auxílio do cabo telescópico, por toda a superfície da água. Isso ajuda a remover insetos, galhos e qualquer tipo de resíduo que tenha caído por ali;
  • siga para a escovação de todo o revestimento da piscina — uma etapa importante para evitar a formação de algas, conforme mencionamos no tópico sobre o algicida. Para isso, procure sempre por escovas macias, independentemente do material que reveste a sua piscina;
  • a aspiração é a etapa posterior, por ter a capacidade de sugar tudo aquilo que se desprende das paredes e do fundo da piscina. Muitas pessoas usam um decantador, no processo, para garantir uma limpeza mais eficiente.

Após finalizada a aspiração, toda a área estará pronta para a entrada dos produtos químicos para a piscina, visando uma complementar e fundamental etapa de higienização dessa concorrida área externa do seu lar.

E para que a sua tarefa seja envolta em qualidade, permitindo uma água cristalina e devidamente equilibrada para o uso dos seus familiares e amigos, que tal acessar a loja virtual da POOL RESCUE para garantir, o quanto antes, os melhores produtos químicos para a piscina? Esperamos por você!

Powered by Rock Convert

POSTS RELACIONADOS


Share This