É possível ter um toboágua residencial? Saiba como ter um na sua piscina

Saiba como o tratamento de piscinas no inverno evita a água verde
agosto 10, 2021
Equipamentos de piscina: (X) dicas para cuidar e aumentar a durabilidade
agosto 16, 2021

É possível ter um toboágua residencial? Saiba como ter um na sua piscina

Normalmente, as crianças se encantam com os parques aquáticos e aquele monte de toboáguas que significam muita diversão. Mas será que é possível ter um toboágua residencial?

Essa é uma dúvida comum a muitas pessoas, principalmente daquelas que estão construindo uma nova casa ou já tem um local com espaço para instalar um equipamento como esse.

Vale dizer que os adultos também gostam e aproveitam a brincadeira! Então, essa realmente pode ser uma boa ideia. Acompanhe os tópicos a seguir para saber mais sobre a oportunidade.

Existem regras para ter um toboágua residencial?

O mais importante é focar na segurança ao tomar uma decisão como essa. É claro que cada pessoa tem liberdade para fazer suas escolhas se quiser ter um toboágua residencial, como definir o material, o modelo e outras características do “acessório” para sua piscina.

Porém, o detalhe essencial para não colocar as pessoas em risco é a profundidade da piscina. A recomendação é que tenha pelo menos um metro, sendo indicado que o fundo chegue até dois metros para que a queda na água seja a mais tranquila e segura possível.

Por exemplo, quem tem uma piscina de criança em casa pode não conseguir instalar um toboágua por conta do impacto da queda em um local muito raso. Ninguém quer sair machucado dessa experiência, não é verdade?

Outros dois aspectos relevantes são o espaço para instalação do toboágua e a escada para acessar o topo. Infelizmente, nem toda piscina comporta um escorregador aquático, principalmente se o modelo for grande e cheio de curvas.

Analisar o ambiente com antecedência é o primeiro passo para saber se a realização desse sonho é possível ou não. O ideal é contar com a ajuda de alguém que entenda sobre o assunto, como um arquiteto, engenheiro civil ou profissionais que trabalham com a venda de acessórios para piscinas.

A escada é indispensável para dar acesso à parte mais alta do toboágua, certo? Logo, ela deve ser firme o suficiente para aguentar o “sobe e desce”, além de ter apoios para facilitar a movimentação e também garantir maior segurança. Ou seja, a instalação de corrimãos ou qualquer outro suporte que cumpra essa função deve ser considerada como regra.

Quais são os tipos disponíveis no mercado?

A principal diferença está no material do toboágua, já que os formatos podem variar bastante e isso vai depender das possibilidades ou preferências de cada pessoa. Basicamente, é preciso decidir entre plástico e fibra.

A vantagem da fibra é a durabilidade, enquanto as versões de plástico podem ser mais baratas e acabar rachando com o tempo ou sofrendo outros tipos de danos.

Lembre-se de verificar com atenção as dimensões de cada modelo e ter certeza de que a estrutura tem uma boa qualidade para aguentar as pessoas que vão escorregar (sendo elas adultos, adolescentes ou crianças).

É possível construir um escorregador de concreto? Sim, essa é mais uma alternativa, mas envolve maior complexidade em toda a obra para chegar ao resultado esperado. Por isso, não é muito comum tem um toboágua residencial desse tipo.

A piscina precisa ter uma característica especial?

Como falamos acima, os critérios cruciais são espaço e profundidade. Mesmo quem tem uma piscina relativamente pequena em casa pode ter um toboágua ou escorregador anexado a ela, desde que ele caiba no ambiente com segurança e que não haja risco de se machucar em uma piscina muito rasa. Fora isso, não há restrições.

Que tipos de cuidados são necessários?

Vamos dividir os cuidados em duas partes, de acordo com o foco de cada uma. Afinal, quem tem um toboágua residencial precisa cuidar tanto da manutenção do “brinquedo” quanto tomar algumas medidas no dia a dia para que o motivo da diversão não cause problemas.

Manutenção do toboágua

Antes de mais nada, a limpeza do toboágua é fundamental para preservar toda a estrutura e garantir tranquilidade na brincadeira. O acúmulo de sujeira atrapalha o entretenimento e ainda oferece riscos para a saúde. A superfície utilizada para escorregar precisa ser higienizada periodicamente, assim como a água da piscina limpa.

Mais um ponto de atenção deve ser a parte metálica da escada, corrimão etc. É bom tomar cuidado para evitar que eles enferrujem, já que o contato com peças enferrujadas não faz bem pela chance de contaminação por bactérias.

Para completar, fazer uma revisão periódica dos parafusos é a melhor estratégia de precaução contra acidentes. Muitas vezes, eles ficam soltos com o tempo e isso passa despercebido até que algo pior possa acontecer.

Cuidados de uso

Depois de instalar o toboágua, os cuidados no dia a dia devem ser redobrados. Ter piscina em casa já requer certa prudência, sobretudo se as crianças frequentam o local. Com a novidade, a diversão aumenta e os riscos também!

A primeira dica é ficar de olho para não escorregar nos degraus enquanto estiver subindo a escada. As superfícies molhadas e falta de atenção formam uma combinação perigosa.

O ideal é subir uma pessoa por vez para escorregar, acomodando bem o corpo dentro da estrutura do toboágua. Nem pense em acumular pessoas ou descer em outra posição que não seja sentado!

Os pequenos devem estar sempre acompanhados ou supervisionados por alguém mais velho. Já os jovens ou adultos podem se divertir com mais liberdade, apesar de ser sempre importante ficar atento para não causar um acidente. Segundos de imprudência são capazes de resultar em uma ida ao hospital com graves consequências.

Tomando todos os cuidados, vale muito a pena considerar essa ideia para deixar a área de lazer da sua casa ainda mais completa! Para aproveitar o entretenimento durante o ano todo, considere também tornar sua piscina aquecida para o frio não atrapalhar.

E então, será que agora você está mais animado com a ideia de ter um toboágua residencial? Aproveite todas as dicas para repensar sobre isso e, quem sabe, começar a colocar os planos em prática.

Se você gostou deste post, assine a newsletter do nosso blog para acompanhar mais dicas sobre o universo das piscinas. Nossa missão por aqui é informar você!