3 sinais de má conservação da piscina e os riscos que isso traz

Piscina aquecida: (x) passos para fazer uma manutenção adequada
março 18, 2021
O que fazer ao encontrar um animal morto na piscina?
março 25, 2021

3 sinais de má conservação da piscina e os riscos que isso traz

A má conservação da piscina é um dos grandes vilões de quem tem áreas de lazer desse tipo. Afinal, de nada adianta ter uma estrutura moderna e belíssima se, no fim das contas, a água não estiver em condições agradáveis e saudáveis para o banho. 

 Quando uma piscina não passa por manutenções frequentes, é comum que o local comece a ficar com um aspecto sujo, seja por conta das manchas nas paredes, ou então, devido ao visual da água — que passa a ficar leitosa e com diversos resíduos. Assim, para evitar que a aparência da água apresente essas características, ou então, que os banhistas acabem adquirindo complicações de saúde, o melhor caminho é investir em cuidados básicos e constantes. 

Quais são eles? É sobre isso que vamos falar neste post. A seguir, reunimos dicas para te ajudar a combater a má conservação da piscina e identificar quando um “tratamento de choque” deve ser feito. Não perca!

Os principais sinais de má conservação da piscina

A olho nu, existem alguns sinais importantes e que nos mostram quando há uma má conservação da piscina. Por isso, além de investir na análise da água, é sempre interessante ficar de olho no seu aspecto. Listamos as principais logo abaixo.

1. As paredes da estrutura estão com manchas

O primeiro sinal de que existe uma má conservação da piscina, é quando as paredes do local começam a apresentar manchas. Isso mesmo!

Independentemente do material da construção, seja ele vinil, alvenaria ou fibra, uma coisa é fato — as paredes tendem a ficar manchadas com o passar do tempo, exigindo uma higienização e escovação intensa.

No caso das piscinas de pastilhas, porcelanato ou azulejos, o ideal é utilizar tricloro, além de prezar pela escovação diária. Já aquelas fabricadas a partir de vinil ou fibra, a melhor saída é utilizar um redutor de pH, ou então, até trocar o revestimento.

2. A água está leitosa e com a tonalidade esbranquiçada

Em algumas situações, a má qualidade da água pode ser detectada a partir da sua aparência. Ou seja, quando a mesma se encontra leitosa e opaca e com a cor esbranquiçada.

Isso pode ocorrer por diversos fatores, seja porque a filtragem não foi feita por tempo suficiente, problemas na alcalinidade, ou também, porque a areia do filtro precisa ser trocada. A dica é conversar com um profissional do ramo para identificar o problema e, com isso, manter o local impecável. 

3. A água não decanta 

Existem, também, casos em que a água da piscina fica esverdeada e não decanta. Muito comum, esse cenário também é um forte indício de que o local está sujo e proliferando algas. Para combatê-lo, a saída é investir em um bom decantador, além de realizar uma elevada adição de cloro

Assim, as algas morrerão e, consequentemente, descerão com o decantador. Já se elas sobreviverem ao produto, o ideal é utilizar um algicida e solucionar de vez o quadro. 

Como identificar se a água está bem tratada

Além de analisar os aspectos visuais da piscina, vale investir em alguns truques de profissionais para saber se a água precisa de um tratamento especial ou não. Descubra quais são eles!

Teste os níveis químicos regularmente

Sem dúvida, o primeiro cuidado é avaliar os níveis químicos da água. Essa tarefa deve ser ainda maior em períodos de sol intenso ou de fortes chuvas. Os índices são os seguintes: 

  • cloro: deve ser analisado diariamente; 
  • pH: precisa ser verificado junto com o cloro; 
  • alcalinidade: o recomendado é checar esse índice uma vez por semana; 
  • metais: o correto é analisar a presença de metais a cada três meses. Os mais comuns são o ferro, o cobre e o manganês. 

Verifique o pré-filtro toda semana

Boa parte das bombas de piscina contam com um compartimento próprio para a pré-filtração. Esse equipamento deve ser inspecionado com frequência, pois, caso ele já esteja cheio, será necessário limpá-lo. Quando esse cuidado não for realizado, o desempenho da bomba ficará comprometido e, em casos extremos, o seu motor pode até queimar.

Limpe o skimmer sempre que possível

De modo geral, o skimmer é um aparelho fundamental para manter a parte superior da água bem limpa. Entretanto, poucos são os banhistas que atentam para esse detalhe, fazendo com que o equipamento fique repleto de sujeira. 

Quando isso acontece, o skimmer passa a funcionar com pouca eficiência e, logo, interfere também no processo de filtração. Diante disso, fique de olho e garanta que a cesta do aparelho esteja sempre limpa. Realize manutenções, por exemplo, duas vezes por semana, principalmente se o local estiver sendo usado com frequência. 

Viu só? Com essas dicas especiais, temos certeza de que você conseguirá driblar a má conservação da piscina e fazer com que o espaço fique sempre pronto para os momentos de lazer. Se você gostou da leitura, assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos em primeira mão. Até logo!