VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Quando pensamos num projeto de piscina para a nossa casa o que desejamos é um espaço para lazer e descanso da família e também convidados. Não queremos pensar que essa área possa ser um problema, mas é preciso considerar isso, também.

A área da piscina oferece grande risco de acidentes, e para que possamos realmente aproveitar esse espaço como desejamos, é preciso tomar precauções para evitar que eles aconteçam. Então, além de equipar a piscina com diversos atrativos, equipe também com acessórios e com um sistema de segurança.

Quer saber, então, como ter uma piscina segura? Continue lendo esse artigo para entender porque a segurança na piscina é tão importante e como você pode garantir essa tranquilidade para todos.

Motivos para se preocupar com a segurança na piscina

Ter uma piscina em casa é sinônimo de diversão para toda família, também de momentos agradáveis junto das pessoas queridas e dos amigos. Mas não podemos ter a ingenuidade de acreditar que tudo são flores com uma piscina em casa.

É essencial que estejamos conscientes de que uma piscina pode representar perigo para todos — crianças, adultos ou animais de estimação.

O principal acidente que as piscinas podem ocasionar é o afogamento, mas também há o risco de quedas, que podem provocar torções, fraturas, contusões e ferimentos mais graves dependendo do local afetado e da intensidade do impacto.

Além disso, as piscinas que possuem sistema de iluminação, se não forem devidamente equipadas com aparelhos modernos, também oferecem risco de choque elétrico.

Outros acidentes que costumam acontecer nesse espaço estão relacionados com a sucção dos equipamentos de filtragem. A roupa dos banhistas, o cabelo e mesmo o corpo de pessoas mais leves pode ser sugado e impedir que se retorne à superfície, causando o afogamento.

E quem deseja ter registrada uma memória triste de um espaço que poderia proporcionar apenas alegria? Ninguém, não é verdade? Por isso, não se preocupe somente com o visual, o colorido e a sofisticação desse espaço, mas também com a segurança dele, fundamental para que todos possam aproveitar a piscina sem correr nenhum risco.

Tudo começa no projeto

O primeiro passo para ter segurança na piscina é contratar os serviços de uma empresa especializada para desenvolver e executar o seu projeto. Isso porque as empresa seguem normas técnicas e vão indicar para você equipamentos certificados pelo Inmetro.

Tudo é feito de acordo com essas normas, com profissionalismo, garantia e pensando no projeto como todo. Isso para que ele seja realmente seguro e não traga nenhum tipo de problema, desde aqueles estruturais — que podem, inclusive, atingir a residência e construções vizinhas — até os detalhes mínimos de segurança.

Evite confiar em “profissionais” que se preocupam em oferecer preços muito abaixo do valor de mercado e prazos velozes. Você pode acabar com diversos problemas em seu projeto, seja por falhas na estrutura por erros na parte elétrica e tubulações ou a péssima qualidade dos materiais e equipamentos.

Isso também não significa pagar mais pelo seu projeto, mas sim, optar por uma empresa séria e com tempo de mercado, que possa atestar a qualidade do serviço, a procedência dos equipamentos e que possa lhe oferecer um bom suporte.

Dentro e fora d’água

A segurança na piscina deve ser sua preocupação tanto dentro como fora da água. Como dissemos, diversos acidentes podem acontecer nesse espaço, tanto para quem está mergulhando, como para aqueles que estão ao redor da piscina ou passando por ali.

Veja quais detalhes são importantes e precisam da sua atenção:

Bordas

As bordas da piscina precisam ser sempre arredondadas, porque as quinas podem causar sérios acidentes. Piscinas de fibra costumam já ter esse acabamento seguro, mas para as de alvenaria e vinil é preciso que a arquitetura do tanque seja planejada assim.

Profundidade da piscina

As diferenças de profundidade na piscina podem ser demarcadas com cores distintas para que os banhistas estejam atentos. A gradação de cores facilita visualizar essa diferença e evita que as pessoas acessem locais perigosos para elas.

Ralo de fundo

O ralo de fundo da piscina é um grande causador de acidentes que podem terminar em mortes dependendo da pressão da sucção. Por isso, não se aventure a escolher e realizar esse projeto sozinho. Conte com uma equipe especializada para desenvolver um sistema seguro que não ofereça riscos para ninguém.

Escada

A escada da piscina precisa ser pensada de acordo com as pessoas que vão aproveitar desse espaço. O ideal é optar por aquelas com inclinação mais suave, de preferência com corrimão e piso antiderrapante para evitar escorregões.

Iluminação

É fundamental que a iluminação seja feita com equipamentos de tecnologia moderna, como a fibra ótica ou o LED. Eles não oferecem o risco de choque elétrico, especialmente a fibra ótica, já que os fios de tensão ficam bem distantes da água.

A iluminação também é importante porque ajuda a manter a visualização de todo o entorno da piscina. É por isso que ela deve estar em pontos estratégicos clareando as áreas de risco, como a escada, as curvas, cantos e quinas.

Também é interessante contornar a piscina com luzes, pois isso permite visualizar seus limites. E a área a redor do tanque também deve ser iluminada. Então, harmonize a iluminação subaquática com a do paisagismo. Assim, você terá um projeto completo, bonito e funcional.

Piso exterior

A área no entorno da piscina precisa receber um revestimento com piso que seja antiderrapante. Considere que esse espaço estará frequentemente molhado e escorregões serão inevitáveis se o piso for liso.

Também é importante que ele seja atérmico para não reter o calor do sol. Além de evitar queimaduras, os banhistas não precisarão correr para fugir do calor, o que previne quedas.

Reserve um bom espaço para esse piso, assim, a área ao redor da piscina será ampla, o que vai facilitar a circulação dos banhistas e evitar quedas acidentais na água.

Sempre de olho nas crianças

Piscina e crianças combinam sim, mas é preciso que os pequenos sejam supervisionados por um adulto para evitar que se machuquem.

Quando as crianças estiverem brincando na água, instrua a não correrem para que não caiam. Também disponibilize boias que os ajudem a se manter equilibrados dentro da água.

crianças menores de 10 anos devem ter supervisão integral do responsável durante o período em que estiverem dentro da piscina.

É fundamental que elas utilizem a escada para entrar e sair da piscina, assim não vão mergulhar de qualquer forma, e também poderão sair facilmente. Para aquelas que sabem nadar ou mergulhar, instrua a não fazerem isso na parte rasa.

As crianças que têm cabelos longos devem nadar com toucas ou com o cabelo preso. Isso vai evitar que os fios se prendam em algo e também que sejam sugados pelos equipamentos da piscina. Além disso, a criança não se distrairá com os cabelos no rosto, e estará atenta para tudo ao seu redor.

Não permita brincadeiras que possam oferecer risco, como grandes mergulhos, malabarismos ou empurrões. E limite os brinquedos que podem ser levados para a água, porque alguns podem ser perigosos. Prefira oferecer para elas opções apropriadas para a piscina, assim poderão se divertir de uma forma segura.

No entanto, não é somente na hora da brincadeira que a piscina pode ser perigosa para as crianças. No dia a dia é essencial limitar o seu acesso a essa área para que elas não se aventurem sozinhas na água. E para os pais ficarem tranquilos, podem contar com alguns equipamentos de segurança, como:

Cercas

As cercas são uma excelente opção para limitar o acesso à piscina e evitar quedas acidentais. Existem diversos modelos e materiais diferentes que harmonizam com qualquer estilo de piscina e decoração.

Elas podem cercar apenas a água como toda a área no entorno do tanque. No entanto, as cercas não costumam ser muito altas, o que pode fazer com que sejam ineficazes para crianças maiores e mais travessas.

Lonas e decks

Uma opção muito eficaz é utilizar as lonas, ou capa contra afogamentos, e também os decks. As duas opções vão cobrir a água da piscina e impedir que a criança caia ali.

As lonas podem parecer frágeis e pouco resistentes, no entanto, elas são projetadas para suportar o peso de uma pessoa adulta, e sendo assim, suportam tranquilamente uma criança sobre elas. Mas fique pois a criança pode passar por de baixo da lona se ela não estiver bem colocada.

Já no caso do deck, além de oferecer segurança na piscina, ele também permite que essa área seja utilizada de uma outra forma quando ninguém estiver mergulhando. O deck se transforma num piso firme e estável, ampliando a área útil na parte exterior.

Alarme

Você também pode encontrar no mercado opções de alarmes contra afogamentos. Esse equipamento emite um sinal sonoro cada vez que algo estiver dentro da água. Assim, se a criança entrar na piscina os pais logo saberão, pois o sensor indicará a submersão e acionará o alarme.

Sensor de presença

O sensor de presença é um equipamento de segurança que pode ser instalado na área da piscina. Embora não seja específico para esse espaço, ele é utilizado para a segurança de um modo geral, e pode ser útil nessa situação também.

Quando acionado o sensor, se algo ultrapassar seu limite um alarme é acionado, assim, os pais poderão saber que a criança está em área de risco.

Essa opção é eficaz porque a criança não precisa estar na água para o alarme ser acionado. Basta estar nos limites de segurança para que os pais sejam alertados.

Com crianças em casa todo cuidado é pouco, afinal, a piscina é um grande atrativo para elas. Por isso, não negligencie a segurança nesse espaço para que os pequenos estejam protegidos e os adultos possam ficar mais tranquilos durante o dia a dia.

Animais na piscina

Assim como os humanos gostam de aproveitar a piscina, os cães também querem se refrescar em dias de calor. E você pode ficar tranquilo, porque é seguro permitir que seu animal nade também, e isso não oferece nenhum tipo de risco se você estiver atento aos cuidados necessários para garantir a segurança dos bichinhos, das pessoas e a qualidade da água.

O que você precisa saber é que assim como para os humanos, alguns animais podem ter mais sensibilidade aos produtos utilizados no tratamento da piscina. Naturalmente eles não oferecem risco para os cães, no entanto, aqueles mais sensíveis precisam ser monitorados ou então obter a permissão do veterinário antes de mergulhar.

Também é preciso tomar cuidado com cães que têm propensão para a otite – infecção nos ouvidos. Isso porque a água de um modo geral pode desencadear o problema, e nesse caso, é preciso antes conversar com o veterinário para obter a sua liberação ou conselho.

Outra questão é sobre animais ainda filhotes e aqueles idosos. Os ainda novinhos, quando muito bebês, não podem se molhar e também não tem desenvolvida a habilidade para o nado. Os idosos, se tiverem alguma condição orgânica especial, como artrite ou problemas cardíacos, precisam ser monitorados e também ter a permissão do veterinário para nadar.

Algumas raças como Pugs e Bulldogs (braquiocefálicas) podem ter dificuldade para respirar e nadar, então, precisam passar por um condicionamento físico gradativo. Assim, poderão ficar mais resistentes e acostumar-se com o nado.

E para evitar que os animais acessem à área da piscina sozinhos, ou caiam na água por acidente, vale utilizar os mesmos recursos de proteção para crianças (cercas, lonas e alarmes). Mas no caso deles, ainda há outro recurso que também é muito útil.

Existe um dispositivo que pode ser preso à coleira do animal, e que quando ele se distancia do perímetro delimitado emite um alarme sonoro para que o dono esteja atento.

E além de todos esses cuidados, você ainda precisa prestar atenção em outros detalhes, como:

  • vista seu cão com um colete salva vidas caso ele não seja um bom nadador;
  • mantenha a vasilha do cão abastecida com água fresca e sempre ao seu alcance;
  • instale uma escada ou rampa na piscina que o animal possa acessar sozinho;
  • aplique no animal um protetor solar específico para cães nas áreas que pode sofrer queimaduras, como o focinho, por exemplo;
  • evite as brincadeiras em horários de sol muito forte, ou limite o tempo de exposição solar;
  • dê um bom banho no animal depois do mergulho para eliminar resíduos de produtos de tratamento da água.

Vale lembrar que não é indicado que os cães nadem em piscinas de vinil, porque suas unhas podem rasgar o material. Também não permita que cães doentes nadem, porque isso pode agravar o seu quadro de saúde.

Caso o animal urine ou defeque na água, retire-o da piscina e faça um tratamento de supercloração para reequilibrar seus parâmetros e eliminar agentes causadores de doenças.

Cuidados com a manutenção evitam acidentes

O ditado “é melhor prevenir do que remediar” é muito atual, e no caso da segurança na piscina ele também é válido. Isso porque uma piscina que passa por manutenção constante é mais segura para todos.

É fundamental preocupar-se com a qualidade da água mantendo seus parâmetros sempre regulados, pois assim ela não oferecerá risco de alergias, irritações nos olhos ou na pele e também contaminações por micro-organismos.

Os produtos utilizados para a limpeza devem ser de boa qualidade e sempre aplicados na medida certa, nunca para mais ou para menos. E na hora de armazená-los é fundamental estarem fora do alcance de crianças e animais.

Prefira sempre produtos indicados para o seu tipo de piscina e evite misturas e combinações, pois elas podem provocar reações indesejadas e perigosas.

E além da qualidade da água, também é preciso manter os equipamentos da casa de máquinas todos funcionando perfeitamente, o filtro sempre limpo e a fiação elétrica em dia. Esse espaço deve permanecer trancado sempre.

Preocupe-se também com o estado do tanque e do entorno da piscina. Nunca negligencie quando precisarem de pequenos reparos, pois o menor detalhe pode causar acidentes, como um piso solto, por exemplo.

Observe a vegetação em volta da piscina e evite árvores sobre ela, ou muito próximas. Além de soltarem resíduos que vão interferir na qualidade da água, a queda de galhos pode causar acidentes com os banhistas. Para proteção contra o sol, prefira construir quiosques, pergolados ou outros que sejam seguros.

Segurança na festa no quintal

Uma festa em volta da piscina é muito atrativa e divertida para todo mundo, mas somente se forem respeitadas regras de segurança nesse espaço. É fundamental estabelecer limites para todos, e deixá-los bem claros.

Além de manter uma boa iluminação, uma escada acessível para todos e boias, também instrua os convidados para evitarem copos, garrafas, pratos e outros utensílios e objetos na área da piscina.

Não permita práticas arriscadas, como cambalhotas, mergulhos acrobáticos, brincadeiras de afogamento, empurrões e outras atitudes que possam machucar os banhistas e as pessoas ao redor.

Fique atento para aqueles que gostam de beber um pouco além do limite, pois os efeitos do álcool em combinação com a piscina podem causar afogamentos e outros acidentes. Prefira estabelecer como regra não entrar na água caso tenha ingerido bebidas alcoólicas.

Vale ressaltar para os convidados sobre os riscos de alimentar-se e mergulhar também, porque a pressão da água pode causar desconfortos gastrointestinais, sendo preferível esperar um pouco antes nadar após comer.

Todos os dias, mas especialmente em dias de festa, mantenha as placas de regras na piscina bem visíveis, assim todos poderão dividir esse espaço de forma segura e saudável, divertida e agradável para todo mundo.

Se acontecer um acidente

Mesmo com todos esses cuidados para garantir a segurança na piscina, esteja alerta para o caso de acontecer algum acidente.

Sempre mantenha um telefone por perto e tenha em mãos o número dos bombeiros, resgate, emergência ou um hospital para pedir socorro. Também é importante ter na área da piscina equipamentos de salva vidas, como boias e cordas.

É importante passar por um treinamento de ressuscitação, tanto para adultos, como crianças e animais. Caso aconteça algum afogamento você poderá reanimar a vítima, mas deve levá-la imediatamente para um hospital.

Noções sobre primeiros socorros também são válidas para atender pessoas que possam sofrer uma convulsão ou então um princípio de infarto ou AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Em casos de quedas, observe a gravidade do acidente. Se a pessoa bater a cabeça ou estiver sentindo dor em alguma parte do corpo, leve-a a um médico, pois algumas lesões são internas e podem ser muito graves.

Se o acidente for grave, como no caso de alguém mergulhar ou cair na piscina e ficar desacordado, chame imediatamente uma ambulância para prestar os devidos socorros.

Evite mover a vítima caso ela sofra alguma fratura ou uma lesão séria para que não seja agravado o seu caso.

Em situações mais específicas, como na ingestão de algum produto químico utilizado para tratamento da piscina, veja no rótulo da embalagem as instruções que devem ser seguidas e as práticas que precisam ser evitadas. O médico deve ser consultado com urgência e o produto precisa ser levado junto para serem prestados os socorros adequados para o caso.

Se você não souber como socorrer uma vítima tendo certeza do que está fazendo, evite qualquer intervenção. Chame uma pessoa que possa ajudá-lo ou ligue para a emergência.

Sempre previna um acidente na piscina

Acidentes acontecem, mas podem ser evitados, por isso, previna ao máximo que você puder. Como dissemos ao longo de todo o artigo, a piscina é um lugar para diversão e para lazer, onde as pessoas podem relaxar e passar momentos agradáveis.

Por isso, esse espaço precisa oferecer para elas todo o conforto que desejam, mas também a segurança que precisam.

É de responsabilidade do proprietário da piscina manter esse espaço bem conservado e devidamente equipado para garantir que todos estejam seguros ali. Por isso, não economize em equipamentos de segurança e medidas preventivas.

Ainda que isso não agrade algumas pessoas, mantenha as regras de uso da piscina. Embora isso incomode os mais libertinos, tenha certeza de que vai proteger os demais e também aqueles que negligenciam esses cuidados.

Investir em segurança na piscina é a melhor forma de ficar tranquilo e curtir esse espaço sem preocupações. Então, esteja atento a todos os detalhes que mostramos para você aqui, e sempre que tiver dúvidas sobre o seu projeto e a segurança desse espaço, consulte uma empresa especializada para que profissionais possam lhe ajudar a encontrar a melhor solução para o seu caso, de acordo com suas preferências e necessidades.

Gostou deste artigo? Pois saiba que temos muito mais conteúdos interessantes e úteis para você! Curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de todos eles.

POSTS RELACIONADOS


Share This