VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

As piscinas de borda infinita são muito utilizadas em hotéis e resorts de luxo, mas, atualmente, já são procurados projetos residenciais para a utilização desse tipo de piscina.

Nesse projeto, a água parece se unir à paisagem devido às suas bordas estarem escondidas. É daí que surgiu o seu nome: piscinas de borda infinita.

Elas possuem um design totalmente moderno que confere um ar luxuoso ao ambiente, além da belíssima vista que proporciona. Essa é a melhor forma de aproveitar toda a paisagem do local, principalmente se houver um desnível no terreno — dando a sensação de realismo ao projeto.

Existem algumas ideias de projetos mais baratos que outros — como as versões simplificadas, de acordo com a intenção de cada proprietário. A dica é apostar naquela proposta que cabe no seu terreno e também no seu bolso.

Neste post, mostraremos como são construídas essas piscinas, os tipos de bordas infinitas existentes, as medidas de segurança necessárias e como funciona a sua manutenção. Confira!

1. Como são construídas as piscinas de borda infinita?

Como foi dito, esse tipo de projeto é feito para terrenos que possuem alguma declividade, pois é a melhor forma de atingir o objetivo de a água transbordar naturalmente, criando a sensação de infinito.

As piscinas podem ter todas as beiradas ou apenas uma transmitindo a impressão de infinitude — tudo depende do desejo do proprietário, da disponibilidade do terreno e do valor monetário disponível para a obra.

Na maioria dos projetos, a piscina é construída no limite do terreno, deixando em evidência a paisagem, que pode ser desde o jardim até montanhas ou uma bela vista para o mar.

É importante que seja construído um reservatório, como se fosse uma calha, ao redor da piscina. É ele que coletará a água que transbordará da piscina.

Logo no fundo dessa calha há um sistema de filtragem que capta a água e a transfere para o reservatório. Essa água pode ou não ser bombeada continuamente.

Há também a possibilidade de transformar piscinas que já estão construídas em piscinas de borda infinita, desde que se analise a topografia do terreno em questão. Em alguns casos, é possível rebaixar alguns centímetros de uma das bordas para concretizar o projeto.

No projeto, ainda é possível fazer escadas, bancos submersos e até uma “prainha” — como é chamada aquela parte bem rasa onde algumas pessoas se sentam para conversar ou ficar com seus bebês bem pequenos.

Essas opções devem ser projetadas no lado contrário ao da borda infinita, para evitar que os usuários saiam da piscina pela borda.

Também devemos levar em consideração para que a cor do revestimento ideal da piscina seja próxima ou bem parecida com a cor que predomina no ambiente.

Esses tons geralmente são verdes, quando a paisagem é de vegetação, azul-celeste, quando o céu fica aparente no final da borda, ou outra nuance de azul, quando a vista é para o mar.

Uma dica interessante é construir a piscina, se possível, de modo que a borda infinita fique de frente para o sentido que o sol se põe. Isso garantirá uma vista ainda mais surpreendente à sua piscina. Neste caso, pode-se utilizar cerâmica ou pastilhas com os tons em degradê do pôr do sol. Voltaremos a abordar os detalhe das cores em um tópico próprio, mais a frente.

2. Quais são os tipos de bordas infinitas?

Na versão tradicional, há um sistema em que a água que transborda cai na calha lateral, é recolhida por um cano e direcionada a um reservatório. A partir daí, a água é filtrada e retorna à piscina direcionada por uma bomba.

É o exemplo que mencionamos anteriormente. Esse tipo de piscina possui um custo mais alto que as piscinas que têm a “falsa borda infinita”.

Nestas, a água não transborda propriamente — isso só acontecerá se houver muito movimento dentro da piscina. Aqui, o nível da água baixará, e o efeito de borda infinita só retornará caso se complete novamente o nível de água exigido.

Essa versão mais simples pode ser feita, inclusive, em piscinas de vinil. Porém, é importante destacar que esse tipo de material é extremamente suscetível ao ressecamento causado pelo sol, levando ao desbotamento.

Isso acontece porque a borda sempre fica seca e exposta ao sol quando a piscina não está em uso. Além disso, o resultado estético não é tão agradável.

No entanto, por ter preço acessível, ser de fácil limpeza e possuir várias opções de cores, essa pode ser uma boa opção para algumas pessoas.

Um truque de decoração é cobrir o fundo da calha receptora com pedras, para que se tenha a impressão de que não há nenhum espaço. Dessa maneira, a visão das pessoas será de uma amplitude ainda maior.

3. Qual é o custo total das piscinas de borda infinita?

O preço total vai depender do padrão escolhido pelo proprietário. Em piscinas de concreto armado, o valor do metro quadrado da estrutura de recuo é de aproximadamente R$ 2 mil.

Em geral, o custo total da obra de piscinas de borda infinita fica em torno de 15% mais alto em relação à construção de piscinas convencionais. Isso é devido a todo o sistema de captação e retorno da água à piscina, como vimos.

A necessidade de construir a piscina em um terreno grande requer maior uso de revestimentos. Além disso, dependendo do material escolhido, o valor final poderá variar bastante.

Já as piscinas vinílicas possibilitam um investimento menor em revestimentos, isentam a aplicação de rejunte, além de servirem como impermeabilizante, o que reduz uma das etapas da obra.

4. Quais medidas são necessárias para não errar em projetos feitos no alto e garantir a segurança dos banhistas?

Para que o projeto tenha pleno sucesso, alguns cuidados de segurança, para um resultado satisfatório e duradouro e para proteção dos usuários, devem necessariamente ser observados.

Um deles é o cálculo correto do volume de água que o reservatório é capaz de receber. Isso garante que ele não esteja seco quando a bomba for acionada e evita que ela se queime.

A calha também deve ter uma capacidade razoável para que essa água, ao ser conduzida ao reservatório, seja capaz de elevar o nível da piscina de maneira segura.

Outro ponto a se observar é a largura da parede da calha receptora; ela deverá ter em torno de 20 centímetros. Isso porque, apesar de não ser o indicado, algumas pessoas desavisadas podem querer sair da piscina por esse lado.

Essa medida de segurança é o que evitará algum possível acidente, sobretudo se a piscina for construída a mais de 3 metros de altura. É também de suma importância que as paredes das piscinas de borda infinita sejam mais espessas que as tradicionais.

O projeto estrutural do concreto armado, incluindo as ferragens, é muito mais complexo que o das piscinas comuns. No entanto, possui a vantagem de ser muito mais resistente, durável e necessitar de pouca manutenção.

Além disso, como já vimos, deve-se seguir a recomendação dos arquitetos: que a área onde a piscina for instalada tenha, pelo menos, 30 metros quadrados.

Ainda é necessário tomar cuidado ao planejar o lugar onde a água vai transbordar, para que não molhe algo que esteja nos arredores da piscina.

5. Quais são as formas de integrar a piscina à paisagem?

Antes mesmo de começar a construir a piscina, deve-se observar em qual lado do terreno a paisagem é mais bonita, pois, quanto mais deslumbrante ela for, mais belo será o resultado final.

Ao fazer a escolha da cor, lembre-se de que os melhores tons são os que se camuflam com a paisagem. Observe o tom e a vista correspondente: azul (céu e mar), verde (jardim e montanhas) e cinza (topo de prédios — para se confundir com o concreto das construções vizinhas).

É importante lembrar que tanto a vegetação quanto o mar podem ter diferenças de nuances, identifique-as antes mesmo de eleger a cor.

Ainda pode ser usado um degradê brincando com os tons amarelo, rosa e alaranjado, simulando o pôr do sol — nesse caso, a sensação de infinitude só ocorrerá ao entardecer.

Nesse último exemplo, também pode ser usado o tom vermelho, que casa muito bem com a vista do final da tarde, proporcionando um ar dramático à decoração externa.

As piscinas com prainha também se beneficiam do tom vermelho, pela beleza que conferem. Essa cor quente ainda pode ser usada para causar o efeito oposto de se usar tons semelhantes aos da paisagem, por gerar um magnífico contraste entre o verde da vegetação ou o azul do mar e do céu. No entanto, é bom salientar que o efeito de continuidade com a paisagem será perdido.

Mas, se o local não tem belos cenários e, mesmo assim, você deseja ter uma piscina de borda infinita, se valha de um truque para que o resultado chegue o mais próximo possível: use um revestimento em um tom muito semelhante ao do piso e do muro que delimita o ambiente.

Usar pedras naturais é interessante, pois são bastante decorativas, mas prefira tipos com baixa porosidade e bom desempenho dentro da água — resistência às intempéries, abrasão, dilatações térmicas e ao peso.

Para um charme a mais, considere dar uma atenção especial à iluminação noturna, garantindo um ar requintado ao projeto.

6. Quais os revestimentos ideais para as piscinas de borda infinita?

Na hora de escolher o revestimento, leve em conta alguns fatores e considere os que mais se combinam com o seu gosto e os mais adequados ao seu orçamento. Por exemplo: custo-benefício, facilidade de limpeza, uso do rejunte, facilidade na hora da aplicação, entre outros.

Confira as opções:

Pastilhas de vidro

Esta é a opção mais moderna e com efeito visual mais bonito, já que há maior variedade de cores — para você poder decidir pela que mais se adapta à paisagem cujo tom se quer imitar.

No entanto, esta é a alternativa mais cara, precisa de grande quantidade de rejunte, além da necessidade de mão de obra especializada.

Cerâmica

Os modelos feitos com o tradicional azulejo possuem um custo menor em comparação com as pastilhas, e sua aplicação é proporcionalmente mais fácil.

Existem vários modelos decorados com muitos temas diferentes, mas a melhor escolha é optar por cores únicas ou em degradê, para harmonizar com os tons do ambiente.

Porcelana

Este tipo de revestimento tem uma grande vantagem: é resistente aos produtos químicos para limpeza e manutenção, além de que praticamente não absorve a água da piscina — o que, com o tempo, poderia causar trincas, rachaduras e descolamento.

Vinil

A última opção é também a mais em conta. A cobertura de vinil é, ainda, fácil de limpar, não necessita de aplicação de rejunte — além de ser um material impermeável.

Além dos citados, podem ser usados outros revestimentos: fibra, pedras ornamentais, pintura epóxi, manta de PVC, fulget, entre outros — converse com seu arquiteto a respeito deles e do qual é mais adequado para você.

7. Como elas podem ser mantidas?

Cuidar das piscinas de borda infinita, assim como o seu projeto e construção, é mais caro que cuidar das piscinas tradicionais.

Esse tipo de piscina necessita de um aumento no nível dos produtos utilizados para a limpeza. Aqui, há uma grande perda do cloro quando a água cai na calha, pois ele, que é um produto bastante volátil (evapora com muita facilidade), estará em contato com o ar durante a queda, se dissipando com mais facilidade.

Outro custo é o da manutenção da bomba que conduz a água à piscina. Ela consumirá mais energia elétrica que as outras durante a sua operação.

É por esse motivo que as piscinas de borda infinita devem ser planejadas por profissionais qualificados, que usarão suas experiências para ajudar a minimizar os custos da manutenção.

É importantíssimo lembrar que a correta conservação das piscinas de borda infinita também contribui para a redução com o gasto de água limpa, um bem essencial para a sobrevivência do homem.

E aí? Gostou das informações deste post? Então, veja agora oito erros para evitar ao construir uma piscina pela primeira vez e aprenda ainda mais sobre o assunto!

Powered by Rock Convert

POSTS RELACIONADOS


Share This