VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Há hotéis e resorts que optam por abastecer seu parque aquático com água proveniente de poços ou minas. No entanto, apesar de serem fontes mais baratas e esta parecer ser uma ótima solução para economizar, a prática pode trazer alguns riscos aos frequentadores, visto que essas fontes são ricas em metais — principalmente o manganês, o cobre e o ferro —, cujas partículas vão parar diretamente na água da piscina.

Se você quer descobrir se há metais na água da piscina e deseja resolver isso para garantir a segurança dos banhistas, continue a leitura e aprenda tudo o que você precisa saber para lidar com esse problema.

Como posso identificar a presença desses metais na água da piscina?

Identificar se há metais na água da piscina é bastante simples. Você precisa apenas realizar um teste de oxidação. Para realizá-lo, você vai precisar de um recipiente plástico, de preferência branco, e cloro. Vamos usar, neste exemplo, um copo plástico:

  1. utilize o copo plástico para coletar a água da piscina;

  2. adicione mais ou menos uma colher de cloro à água coletada;

  3. aguarde por volta de uma hora;

  4. verifique a cor da água para saber se há metais e de qual tipo.

A água aparentará estar limpa até o cloro ser aplicado. Porém, ao reagir com esse produto químico, o líquido adquire uma coloração anormal devido à presença de metais. As cores podem variar de acordo com os tipos de componentes presentes, mas, em geral, as mais comuns são: preto, marrom, vermelho, verde, azul e âmbar, além de algumas variações devido à mistura desses tons.

Além disso, a água apresentar alguns sólidos decantados no fundo do recipiente. Por isso, dê preferência a um recipiente transparente, pois ele vai facilitar a identificação desses sólidos.

A coloração amarelada ou marrom indica a presença de ferro. Se a água ou sólidos depositados no fundo estiverem verdes ou azuis escuro, isso significa a presença de manganês ou cobre.

Esses três metais podem ser encontrados nas águas utilizadas para abastecimento de piscinas geralmente vindas de minas, poços ou lagos. Mas, como já mencionamos, também podem aparecer quando outros tipos de fonte são utilizados.

Nesses casos, os metais podem ser provenientes da manutenção ruim da piscina, do uso excessivo ou indevido de químicos, pH e alcalinidade altos e até mesmo pela má conservação dos aparelhos de manutenção.

Agora, se você quer e precisa determinar exatamente o nível de cada metal contido na água da piscina, é preciso realizar a análise em um laboratório especializado — porém o teste descrito acima já é suficiente para identificar, inicialmente, se há ou não a presença deles.

Quais são as outras formas de contaminar a água com metais?

Se você não utiliza poços e minas como fonte de abastecimento do parque aquático mas, ainda assim, percebe que a água muda de cor ao reagir com o cloro, saiba que outros fatores que podem causar a presença de metais na água, como:

  • introdução de metais oxidados dentro da piscina;

  • tratamento químico inadequado, provocando a corrosão dos componentes metálicos da piscina e dos equipamentos de manutenção;

  • utilização de produtos químicos utilizados na piscina, principalmente os algicidas à base de cobre;

  • uso de produtos químicos usados na jardinagem ou paisagismo que acabam entrando em contato com a água da piscina.

O que eu faço com essa água? Há alguma maneira de recuperá-la e evitar o desperdício?

Você deve estar pensando que não há solução para recuperar a água, já que ela é rica em metais e pode comprometer a saúde dos banhistas, correto? Bem, à primeira vista realmente parece ser impossível tratá-la, mas existem algumas maneiras de fazer isso. Veja a seguir.

Supercloração

Nesse processo, parecido com o utilizado para limpar a piscina do excesso de algas, o cloro é utilizado para eliminar as impurezas e os metais da água. Para realizar esse processo, tenha em mente que será necessária uma quantidade considerável de cloro, portanto, esteja preparado.

Para cada mil litros de água, adicione 20g de cloro. Depois de dois dias, verifique a reação da água. Caso a piscina esteja com a coloração ainda mais forte, repita o processo anterior de cloração. Repita-o quantas vezes forem necessárias até que a cor da piscina permaneça estável.

Quando isso acontecer, você já pode passar para o último passo: utilizar o decantador para separar as partículas sólidas das partículas de água e retirar todo o metal que vai se acumular no fundo da piscina com um aspirador ou filtro na função de “drenar”.

Mas não se esqueça que se a origem do problema for a água utilizada para abastecer a piscina, sempre que você reabastecê-la a mesma coloração será apresentada. Para resolver essa questão permanentemente, troque a fonte utilizada para encher o parque aquático.

Caso sua piscina seja de fibra ou de vinil, só use esse método como última opção. A supercloração pode desbotar a cor da sua piscina e deixá-la com aspecto envelhecido.

Controlador de metais

Essa é a melhor opção para tratar a água da piscina que está com excesso de metais. O controlador de metais é um produto específico para resolver esse problema. Além de remover essas substâncias, ainda ajuda a tirar as manchas das paredes e do fundo da piscina que aparecem devido à grande quantidade deles na água, ou, ainda, devido a objetos que caíram e marcaram a estrutura da piscina, como tampinhas de garrafa, grampos de cabelo e pregadores de roupas.

Para utilizar esse produto, primeiramente você deve fazer algumas medições:

  1. meça a alcalinidade. Ela deve estar entre 80 e 120 ppm;

  2. confira se o pH esta entre 7,0 e 7,4. O ideal é mantê-lo em 7,0;

  3. meça o cloro. Ele deve estar entre 1 e 3 ppm.

Após estas verificações, basta aplicar o controlador de metais conforme instruções de uso do produto escolhido. Após sua aplicação, a água apresentará uma leve turvação, que sairá com o tempo. Deixe filtrando por aproximadamente 8 horas e, caso aconteça decantação de partículas, aspire-as.

Os metais na água podem causar riscos à saúde?

Metais pesados são extremamente nocivos à saúde, visto que não são eliminados pelo corpo. Ao serem absorvidos pelo organismo, eles se ligam às paredes celulares e dificultam o transporte de nutrientes, além de também acarretarem problemas de funcionamento das proteínas e enzimas do corpo.

Veja os principais sintomas causados pelos metais que costumam estar mais presentes na água:

  • ferro: vômitos, diarreias e problemas intestinais;

  • cobre: febre, náuseas e diarreia;

  • manganês: distúrbios neurológicos, como Mal de Parkinson.

Como você pôde perceber, a presença de metais na água pode ser muito perigosa. Mantenha sempre sua piscina bem cuidada e, caso note alguma mudança de coloração quando o cloro é adicionado, trate-a imediatamente.

Gostou das informações que trouxemos? Quer continuar acessando conteúdos que vão te ajudar a cuidar e gerenciar suas piscinas? Então curta nossa página no Facebook e acompanhe nossas postagens de conteúdos exclusivos!

POSTS RELACIONADOS


Share This