VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Ter uma piscina significa que em dias mais quentes você terá o prazer de se refrescar com mais facilidade, mas isso também gera uma série de cuidados específicos. Afinal, tratar a água é muito importante e diversos produtos, como o cloro para piscina, precisam ser aplicados para garantir que ela estará saudável e segura.

Contudo, embora seja um dos produtos mais importantes na hora de cuidar de uma piscina, você sabe qual é realmente a importância do cloro na água? Preparamos este artigo para explicar a sua ação, trazer algumas dicas de como usá-lo corretamente, entre outras informações.

Continue lendo para saber como cuidar bem da sua piscina e garantir que ela esteja sempre apropriada para mergulhos.

Para que serve e como age o cloro para piscina?
O cloro é responsável por eliminar as bactérias que vivem na água da piscina. E como ele faz isso? Com uma simples reação química. Quando ele é dissolvido, cria subprodutos, como o ácido hipocloroso (HOCI) e o íon hipoclorito (OCL), os dois agem contra os lípidos, deixando-os inofensivos.

A diferença entre essas duas substâncias derivadas do cloro para piscina é que o ácido hipocloroso age contra as bactérias em questão de segundos, enquanto o hipoclorito demora cerca de meia hora para promover esse efeito.

O que determina a quantidade de produção desses subprodutos é o nível de pH da água, mais um motivo para você manter o da sua piscina controlado. Se os índices estiverem muito altos, a quantidade de HOCI será menor e levará mais tempo para que o cloro realize sua função.

Isso acontece porque os produtos para tratamento de piscinas são desenvolvidos para serem usados na água com pH entre 7,2 e 7,6. Nesse caso ela estará levemente alcalina. Então, se estiver muito ácida, com pH menor do que 7, ou alcalina demais, em ambos os casos haverá ineficiência no tratamento, inclusive no que se refere à aplicação do cloro.

De uma maneira geral, esse produto é responsável por deixar a água higienizada, combatendo os lipídios das células, as bactérias e outros microrganismos que oxidam e se tornam inofensivos. Assim, diversas doenças são prevenidas, como é o caso de:

micoses;

verrugas por HPV;

infecções intestinais;

tricomoníase;

foliculite.

Sendo assim, as pessoas podem se banhar sem o risco de sofrerem algum tipo de contaminação por microrganismos que tenham origem na sujeira que cai na água ou sejam transmissíveis.

Quais são os tipos e cloro e como aplicar?
Outra questão muito importante sobre o cloro para piscina é o fato de que ele deve ser utilizado na quantidade ideal para cada tanque. Isso porque quando a água recebe pouca quantidade, ele não será suficiente para eliminar os microrganismos, então haverá o risco de os banhistas sofrerem contaminações.

No caso contrário, quando há excesso de cloro, os banhistas podem sofrer efeitos negativos em sua saúde. Manifestam-se, principalmente, alergias e irritações na pele. Além disso, também é um desperdício de produto, porque ele em maior quantidade não significa que promoverá um efeito melhor.

Powered by Rock Convert

O ideal é fazer a análise diariamente para observar se é preciso fazer uma nova aplicação. Para isso é utilizado um kit específico com intuito de verificar se o nível de cloro livre está entre 2 e 4 ppm (partes por milhão). Quando menos, deve-se seguir a recomendação do fabricante de acordo com o produto escolhido e diluir a quantidade ideal conforme o volume da piscina.

A seguir, veja como fazer a aplicação do modo correto.

Identifique o melhor cloro
Existem tipos diferentes de cloro para piscina que são mais indicados para certos casos. Listamos os principais tipos logo abaixo.

Cloro orgânico
É composto por cadeias de carbonos e tem uma reação mais lenta, pois os seus subprodutos são liberados devagar. Assim, a proteção que oferece é longa e ele também é resistente aos raios solares, então, é ideal para piscinas ao ar livre.

Cloro inorgânico
Diferentemente do anterior, não é composto por cadeias de carbono e sua ação é mais rápida, mas é menos resistente à radiação do Sol. Por isso, ele é indicado principalmente para piscinas cobertas.

Cloro estabilizado
Tem na formulação substâncias que ajudam a reduzir a sua evaporação natural, assim, ele é mais eficaz e promove uma proteção prolongada para a água da piscina, além de manter o equilíbrio químico.

Cloro comum
Assim como os demais, tem a sua ação no combate às bactérias, porém, como ele não é enriquecido com substâncias estabilizantes, em cerca de 3 horas perde praticamente todo o seu residual.

Meça o pH e a alcalinidade
Como dito, o nível do pH interfere na ação do cloro para piscina e, como ele também é dependente da alcalinidade, é preciso medir esses dois parâmetros para fazer a aplicação do produto. O ideal é que o pH esteja entre 7,2 e 7,6, e a alcalinidade entre 80 e 120 ppm.

Calcule a quantidade ideal de cloro
Para ter o efeito desejado o cloro deve estar na quantidade adequada de acordo com o volume de água da piscina. Então, veja no rótulo do produto a recomendação do fabricante e utilize exatamente a porção ideal, conforme o tamanho do tanque.

Dilua o produto conforme instruções
Os fabricantes de cloro para piscina também fazem recomendações sobre o modo correto de diluir o produto antes de aplicar na água. É muito importante seguir essas instruções para garantir que a substância cumprirá a sua ação de forma eficaz. Lembrando que o ideal é usar um pouco da água da própria piscina para fazer essa diluição.

Espalhe o produto por toda a superfície
Para favorecer a ação do cloro para piscina, o ideal é que depois de diluir o produto ele seja aplicado em toda a superfície da água. Então, procure ter o cuidado de fazer essa divisão em todo o tanque e não simplesmente despejar em um ponto específico.

Quais são os efeitos negativos do cloro?
Embora o cloro seja uma eficiente ferramenta no combate às bactérias que podem se proliferar na água, é preciso tomar alguns cuidados com ele. Isso para que o produto não cause efeitos prejudiciais aos banhistas.

Um fator incômodo é o cheiro forte que tem, porém, quando misturado à água, essa característica se anula. Um fato importante é quando o cloro está em pouca quantidade e ligado com produtos nitrogenados. Nesse caso, cria-se um subproduto chamado cloramina, que deixa a água com cheiro forte e não tem efeito desinfetante.

Outros inconvenientes causados pelo cloro para piscina são a coceira e irritações na pele. Isso acontece porque o hipoclorito ataca o tecido epitelial, desintegrando-o. Para evitar esse efeito é preciso tomar banho depois de sair da piscina, a famosa ducha.

Aplicar o cloro para piscina é de extrema importância para que a água se mantenha higienizada e segura. E para não errar na aplicação, uma boa alternativa é contar com o suporte de profissionais para fazer essa manutenção. E não se esqueça de manter os demais cuidados para ter um espaço de lazer saudável e limpo, sempre pronto para mergulhos.

Terceirizar o tratamento da piscina é uma ótima alternativa para ter um serviço de qualidade e reduzir custos. Achou interessante? Então solicite um orçamento sem compromisso!