VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL Loja Virtual de Piscina Loja Virtual de Piscina

Cuidar da limpeza e manutenção de piscinas é coisa séria. Uma piscina suja, com água sem tratamento e filtros entupidos pode representar um risco à saúde dos banhistas.  Alguns deslizes costumam ser comuns, como a aplicação de produtos químicos de forma equivocada, trazendo sérias consequências para os usuários.

Ficou interessado no assunto? Veja, agora, 3 erros que você deve evitar durante a rotina de limpeza e manutenção da sua piscina. Boa leitura!

1. Esquecer de testar a química da água

Para estar própria para o banho, a água deve atingir uma certa alcalinidade. Um erro muito frequente é esquecer de testar a química, verificando sua alcalinidade, além dos níveis de pH da água e o residual de cloro. A unidade de medida é a ppm (partes por milhão).

Com uma fita teste para piscina ou medidor específico para isso, faça as análises. A alcalinidade deve estar na faixa de 80 a 120 ppm, o que garante um equilíbrio que auxilia na manutenção do pH, assim como na eficiência do cloro livre. A Alcalinidade ajustada proporciona o mínimo de agressão à pele e aos cabelos dos usuários. Os níveis ideais de pH devem ficar entre 7.0 e 7.4. Caso não estejam nessa faixa, faça a correção com ácido seco ou ácido muriático (para reduzir) e carbonato de sódio (para aumentar).

O uso correto do cloro também é importante. O nível aceitável de cloro combinado, ou seja, o cloro em uso, é de, no máximo, 0,2 ppm. Acima disso, provoca cheiro e prejudica a saúde. Já o cloro livre — que ainda não foi usado — deve ter entre 1 e 3 ppm.

2. Misturar químicos diferentes

Esse é um erro comum a quem não entende muito de química. Então, fica a dica: nunca misture produtos químicos diferentes, pois eles reagem uns com os outros e o resultado pode ser desastroso.

Você deve ter cuidado até mesmo no armazenamento desses produtos. Não deve, por exemplo, deixar frascos de líquidos sobre baldes de cloro, nem latas de tinta ou produtos de limpeza próximos à piscina.

Não misture hipoclorito de cálcio com dicloro ou tricloro, pois são incompatíveis. Além disso, não deixe respingar água dentro do balde de cloro ao manusear o produto e não utilize o seu dosador para outros químicos.

3. Ignorar a manutenção das bombas e dos filtros

Muitas pessoas se preocupam apenas com a qualidade da água da piscina e sua limpeza superficial e esquecem da manutenção das bombas e dos filtros. E isso é de extrema importância.

Esses equipamentos devem ser ligados todos os dias, pois eles representam 50% do tratamento da piscina. O filtro, por exemplo, ajuda a purificar a areia e outras sujeiras. Além disso, os dois equipamentos movimentam a água, favorecendo a troca de oxigênio e a proliferação de algas. Por isso ambos estão sujeitos a ficarem sobrecarregados. 

A areia do filtro deve ser trocada, em média, a cada 18 meses. E ele deve ser lavado, pelo menos, uma vez por semana em piscinas residenciais e duas vezes nas coletivas. A motobomba deve ser verificada regularmente. Se os ruídos apresentarem alguma variação ou se a sucção estiver fraca, chame um técnico.

Esses são apenas alguns erros comuns na limpeza e manutenção de piscinas. Orientamos, no entanto, que você busque a ajuda de profissionais para manutenção de piscinas de uso intenso. Essa é a melhor forma de garantir a segurança e a saúde dos seus banhistas. 

Se você gostou deste conteúdo e acha que ele pode ajudar mais pessoas, compartilhe nas suas redes sociais!

POSTS RELACIONADOS


Share This