Como manter a segurança em piscinas de condomínio?

como-reduzir-os-custos-com-piscinaPowered by Rock Convert
Loja VirtualPowered by Rock Convert

Nesta época do ano, em que as temperaturas começam a se elevar em grande parte do país e as férias escolares se aproximam, piscinas de condomínios, clubes, hotéis e resorts começam a ficar bem cheias. É quando, então, a segurança em piscinas deve ser redobrada. Se você administra um desses locais, deve ter essa preocupação. Principalmente se no seu município ainda não existe legislação que obrigue a presença de um salva-vidas. 

Veja, agora, algumas dicas que você pode (e deve) seguir para manter a segurança e a tranquilidade dos banhistas.

Observe ou proponha regras e normas

A legislação que regulamenta a segurança em piscinas varia de município para município e de estado para estado. No Rio de Janeiro, por exemplo, a lei é estadual e existe desde 2001. Algumas administrações, porém, ainda não regulamentaram leis a respeito do assunto. Informe-se nos órgãos competentes da sua cidade.

De qualquer forma, as regras estabelecidas em Convenção de Condomínio devem ser observadas sempre. Elas são a lei máxima em um condomínio. Pode ser, entretanto, que o seu condomínio seja novo ou que a área de lazer tenha sido recém construída e ainda não possua regras. Nesse caso, o síndico deve propor algumas normas importantes, como:

  • horário de funcionamento e período do ano em que a piscina ficará aberta;
  • quem poderá utilizar a piscina (se apenas moradores ou visitantes também);
  • obrigatoriedade da apresentação de exame médico;
  • permissão ou não para o consumo de alimentos e bebidas na área da piscina;
  • obrigatoriedade das crianças menores de 12 anos estarem acompanhadas de adultos;
  • permissão ou não para brincadeiras com bolas, entre outras coisas.

Tudo isso deve ser apresentado em assembleia e acordado com os condôminos. No caso de clubes e resorts, ter normas é igualmente importante e essas regras devem ser compartilhadas com todos os funcionários.

Sinalize a área

Definidas as regras para uso da piscina, o próximo passo é sinalizar a área. O responsável pelo condomínio, clube, resort, etc, deve colocar placas indicando o que é proibido, horário de funcionamento e recomendações. Informações sobre a profundidade da piscina e placas orientativas, como, por exemplo, “não nade após ingestão de bebida alcoólica” ou “não corra em volta da piscina” são bem-vindas.

Pode parecer besteira, mas muitas pessoas, no momento em que estão se divertindo, não têm noção sobre o que pode colocá-las em risco. Por isso, reforçar os perigos existentes nunca será uma atitude exagerada. 

Além disso, a área deve ser cercada e ter portão com trava de difícil liberação para evitar a entrada de crianças pequenas desacompanhadas. Outra prática recomendável é disponibilizar em local visível os números de emergência dos Bombeiros (193), Polícia Militar (190) e Samu – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (192).

Fique atento à manutenção

Para ser absolutamente segura, a piscina deve receber manutenção periódica e ter equipamentos de segurança. São alguns deles: botão de parada de emergência, respiro atmosférico, sistema de segurança de liberação de vácuo, tampa não bloqueável e tampa antiaprisionamento, que evita a sucção dos cabelos. Todos devem ser certificados pelo Inmetro.

Curso de Guardião de PiscinasPowered by Rock Convert

Faça o tratamento à base de cloro e a filtragem no período da noite, pois, além de levar muito tempo, cerca de 8 horas, o produto ainda concentrado pode causar irritação nos olhos e outros danos aos banhistas. Evite aspirar e usar redes de limpeza durante o período em que a piscina estiver aberta. 

Pisos antiderrapantes na área da piscina são itens bastante indicados. Também podem ser instaladas câmeras para detectar rapidamente uma situação de emergência e sensores que informem a presença de corpo estranho na área interna do tanque. Além disso, verifique diariamente o pH da água, se não há azulejos ou outros materiais quebrados ao redor da piscina ou rachaduras em seu interior que estejam causando vazamentos.

E atenção: não deixe que a área seja liberada para entrada de banhistas antes da retirada de capas que protegem a piscina. Elas são eficazes na retenção da evaporação e na proteção contra insetos, mas podem ser perigosas se não estiverem bem presas e esticadas ou se alguma criança resolver levantá-las para ver o que tem embaixo. 

Contrate um guardião

Como já foi dito neste artigo, alguns lugares já possuem a obrigatoriedade da presença de um guarda-vidas em piscinas de uso coletivo. Mesmo que esse não seja o caso da sua região, a contratação de um guardião deve ser analisada, pois ele é o profissional mais qualificado para garantir a segurança da área. 

Esse profissional pode ser terceirizado, o que vai trazer ainda mais sossego para o administrador ou síndico, já que a empresa contratada deve fornecer treinamento adequado, todos os equipamentos necessários ao exercício da função e a garantia de que sempre haverá um funcionário para substituir possíveis ausências. Imagine ter que fechar a área de lazer porque o guardião não pode comparecer ao trabalho?

É função do guarda-vidas não só salvar banhistas que estejam em situações perigosas, mas também alertar sobre comportamentos inadequados ao redor da piscina, que possam causar algum risco aos usuários. 

Outras medidas, como a aquisição e disponibilização de uma caixa de primeiros socorros e fechamento da piscina em dias de chuva forte, também evitam uma série de problemas. Alerte os usuários sobre o perigo de entrar na água durante tempestades com raios. 

Vale ressaltar que, quando o assunto é segurança em piscinas, todo cuidado é pouco. Por isso, pesquise e informe-se sobre as empresas que prestam serviço de salva-vidas e não tenha receio em parecer exagerado nos cuidados. Afinal, você deve zelar pela vida e pela saúde dos condôminos, frequentadores ou hóspedes do lugar que administra.

Está com dúvidas? Já viveu alguma situação de emergência por falta de segurança na piscina? Gostou deste artigo e quer saber mais sobre o assunto? Deixe seu comentário neste post. A sua opinião é fundamental para que possamos sempre abastecê-lo com conteúdo de qualidade!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

8 Comentários

  1. Estava no Rio Stay e vi que um guardião de piscina contratado por vocês havia saído de seu post. Enquanto isso, uma pessoa estava na piscina. Quando lhe perguntei se ele podia ficar na piscina sozinho, ele me disse que sim porque nadava bem. Pergunto: Quem nada bem não pode morrer afogado ? Não pode ter um mal súbito ? Então, para continuar, fiquei perto da piscina. O mesmo guardião, estava à minha esquerda usando um celular. Em determinado momento, o nadador parou e o guardião não viu. Ele se aproximou de mim e perguntou, ele saiu ? E aí pergunto a vocês, será que ele estava mesmo cuidando da píscina ? E se o nadador tivesse se afogado ?

    1. Prezada Cláudia, boa noite!
      O Guardião estava completamente errado.
      Infelizmente nem todos os guardiões são bons profissionais.
      Nesses casos, a senhora deve comunicar a empresa para que ela tome as devidas providências.
      Orientação do funcionário e em caso de reincidência, a sua substituição.

  2. Estava no Rio Stay e vi que um guardião de piscina contratado por vocês havia saído de seu post. Enquanto isso, uma pessoa estava na piscina. Quando lhe perguntei se ele podia ficar na piscina sozinho, ele me disse que sim porque nadava bem. Pergunto: Quem nada bem não pode morrer afogado ? Não pode ter um mal súbito ? Então, para continuar, fiquei perto da piscina. O mesmo guardião, estava à minha esquerda usando um celular. Em determinado momento, o nadador parou e o guardião não viu. Ele se aproximou de mim e perguntou, ele saiu ? E aí pergunto a vocês, será que ele estava mesmo cuidando da píscina ? E se o nadador tivesse se afogado ?

    1. Prezada Cláudia, boa noite!
      O Guardião estava completamente errado.
      Infelizmente nem todos os guardiões são bons profissionais.
      Nesses casos, a senhora deve comunicar a empresa para que ela tome as devidas providências.
      Orientação do funcionário e em caso de reincidência, a sua substituição.

  3. quanto custa a diária de 8:oohora de um guardião de piscina abilitado?.

    1. Favor fazer contato com o Jorge Maurício. Tel 2432-3000.

  4. quanto custa a diária de 8:oohora de um guardião de piscina abilitado?.

    1. Favor fazer contato com o Jorge Maurício. Tel 2432-3000.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.